sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Moto Z Play - análise da câmera fotográfica e snap Hasselblad True Zoom

Moto Z Play – o campeão em autonomia de bateria e versatilidade
Moto Z Play – a melhor autonomia de bateria dentre todos smartphones

Existem diferenças entre a câmera do Moto Z e do Moto Z Play em termos de especificações. Usam sensores diferentes. O Z Play tem resolução da sua câmera traseira de 16 MP enquanto o Moto Z captura fotos a 13 MP. Mas por outro lado a sensibilidade à luz do Z Play é um pouquinho menor (menos sensível), confirmado por suas especificações de abertura f/1.8 e f/2.0.

Mas querem saber de uma coisa? No uso comum dessas câmeras, o que mais se faz no dia a dia, as diferenças são mínimas, se é que existem. Apenas em locais mal iluminados que o Moto Z é um pouco melhor que o Z Play. Ao menos subjetivamente é isso que percebi, atento que sou às capacidades das câmeras e qualidade das fotos. Vou exemplificar isso com algumas fotos que tirei com o Moto Z Play em algumas condições diferentes. Vocês verão que no geral ele e seu irmão mais nobre desempenham muito bem a função.

A foto abaixo é em teoria a mais fácil para qualquer smartphone, pois há luz em abundância. Mas não raro algum sensor ótico pode interpretar as cores de forma pouco natural. Não o Moto Z Play. Cores vivas e naturais, fiéis ao que eu observei neste dia.


figura 10 – ambiente bem iluminado (clique para ampliar)

A próxima foto me chamou a atenção porque foi feita a bordo de um avião (obviamente em movimento), através do vidro e mesmo assim consegui capturar a variação e riqueza de cores da água do mar. Também uma foto feita em situação de iluminação ideal, bastante luz.
    

 figura 11 – foto tirada de avião, também muita luz. Riqueza de cores (clique para ampliar)

A foto seguinte, ainda em condições ótimas de iluminação, apenas mostro aqui porque ficou muito interessante. A ponte estaiada na zona sul de São Paulo registrada de um ângulo diferente, ao longo da própria via (marginal Pinheiros), durante uma corrida de rua que participei levando comigo o Moto Z Play.


figura 12 – bela tomada,  também muita luz (clique para ampliar)

Na foto a seguir, um raro instantâneo, capturei um grilo bem de perto, aliás, adoro este tipo de foto. Chamou minha atenção o fato de ter sido feita sem flash e olhando nas características do arquivo, sensibilidade ISO 800 e tempo de exposição de 1/15 segundos. Méritos do Moto Z Play nessa foto, um ISO alto (800), não apresentou granulação e o tempo de exposição relativamente alto (1/15) não deixou a foto tremida.
    

figura 13 – foto próxima sem flash, riqueza de detalhes (clique para ampliar)

Fotos com fundo muito iluminado são sempre problemáticas, já que a tendência é que o primeiro plano fique totamente escuro. O que dizer então de uma foto contra a luz, mesmo que ao crepúsculo. O recurso HDR presente em várias câmeras lida com esta situação. É o que bem ilustra a foto abaixo. Não só se vê tudo no primeiro plano da foto como o arbusto com flores amarelas está bem representado. HDR do Moto Z Play aprovado.
  

figura 14 – foto contra a luz, bom trabalho do recurso HDR (clique para ampliar)

Em maior ou menor quantidade, selfies estão presentes no nosso dia a dia. A foto abaixo mostra um momento capturado logo após eu encerrar uma corrida de rua em São Paulo, na resolução de 5 MP. A camiseta que eu usava era mesmo “amarela ligada na tomada” como parece. Fidelidade de cores aprovada! Vale destacar que o Moto Z Play permite disparar um selfie com o gesto de “V” na frente da câmera, muito útil e prático.
  

figura 15 – selfie com o Moto Z Play (clique para ampliar)

Começamos agora a com algumas fotos difíceis, ou seja, situação na qual todos os smartphones têm dificuldades. Falo das fotos noturnas e com pouca luz. A foto abaixo capturada com sensibilidade ISO 2000 (uma foto “normal” usa ISO 100 ou 64 se for ambiente ensolarado). Câmeras ou smartphones que não tenham uma lente com abertura apropriada, tendem a não registar com perfeição as cores nesta situação. Achei até satisfatório o resultado, embora na parte esquerda da foto, por causa das luzes, se perdeu um pouco o registro da cor dessas luzes. Ao ampliar bastante a foto pode ser percebido o efeito de granulação, algo esperado pela circunstância da foto. Mas vale o registro, apenas se percebe a granulação com uma grande ampliação. O Moto Z por ter uma lente mais “clara” (abertura f/1.8 contra f/2.0 do Z Play) possivelmente sofreria um pouco menos nesta situação. Mas ainda assim fiquei satisfeito com a foto.


figura 16 – foto noturna – prova de fogo para qualquer smartphone (clique para ampliar)
   

figura 16b – foto noturna – ampliação mostrando certo nível de granulação (normal)

A próxima foto também foi tirada em situação de baixa iluminação, mas como a cena está mais próxima o Moto Z Play usou sensibilidade ISO 800. Ampliando quase não se percebe granulação. Achei que as cores capturadas ficaram ótimas a despeito da baixa iluminação.
  

figura 17 – foto noturna , pouca luz (clique para ampliar)

Voltando às fotos bem iluminadas, a próxima achei muito bonita. Foi tirada em um dia bastante nublado, logo após uma grande chuva. Mais uma foto com grande proximidade, tirada a poucos centímetros. Reparem a clareza das cores, a sutileza das gotas de água sobre as pétalas!! Na sequência mostro uma ampliação de uma parte da foto, que só reforça a percepção de captura muito rica da imagem
    

figura 18 – foto tirada bem perto, riqueza de detalhes (clique para ampliar)
  

figura 18b – aproximação da foto anterior, riqueza de detalhes (clique para ampliar)

Abaixo mostro mais uma foto que ilustra a captura da diversidade de cores e diferentes planos. Pela abundância de luz seu tempo de exposição foi de 1/900 segundo e ISO 64, o que torna a foto totalmente em foco, mesmo em planos diferentes.


figura 19 - diferentes planos e iluminações – (clique para ampliar)

A partir de agora vou exemplificar o resultado usando o fantástico snap de câmera Hasselblad. Caso você não conheça, a marca Hasselblad é referência em câmeras profissionais e há muito tempo. Foram câmeras Hasselblad que capturaram as imagens das missões Apollo ainda na década de 60 e 70 do século passado.  Foi uma Hasselblad que capturou umas das imagens mais bonitas de todos os tempos, o “nascer da terra” durante a missão Apollo 8 que apenas entrou em órbita da lua. Atenção, a foto abaixo NÃO foi feita com o Moto Z Play :-) !
    

figura 20 – nascer da Terra na lua capturada por uma Hasselblad – (clique para ampliar)

Isso deixa bem claro que o nome Hasselblad é extremamente sério e competente. A Lenovo/Moto desenvolveram em parceria com a empresa o snap de câmera avançadas que foi chamado de True Zoom. Tem como características principais, zoom ótico de 10 vezes, gravação de imagem em formato RAW (para edição profissional – formato sem compressão), flash de Xenon e controles avançados para ajustes manuais. Importante destacar que as fotos obtidas com este snap são fantásticas, mas não deve ser usado para ambientes pouco iluminados sem flash (seu flash é ótimo). Isso porque não existe mágica, mais lentes no processo (para compor o zoom), maior a perda de luz. Por isso a abertura dessa câmera é de f/3.6 .


figura 21 – snap Hasselblad True Zoom (10x) montado no Moto Z Play

A próxima sequência de fotos fala por si. Tirei a mesma foto, do mesmo local com a câmera nativa do Moto Z Play e com o snap Hasselblad True Zoom. Ambas ficaram praticamente iguais. Depois tirei a mesma foto com a Hasselblad com zoom máximo (10x) apontando para o local que está marcado em vermelho da foto abaixo.
    

figura 22 – foto com a área de testes da Hasselblad True Zoom(clique para ampliar)

As próximas duas fotos são relativas à área delimitada em vermelho da foto anterior. A primeira delas uma ampliação digital parcial. Já é possível notar a diferença no nível de detalhes. Não tem como ser diferente, zoom ótico e zoom digital não se comparam.

figura 23 – Zoom digital da foto feita no Moto Z Play(clique para ampliar)
 

figura 23b – mesma foto feita pela Hasselblad (clique para ampliar)

Mas eu quis ir mais longe. Ampliei no limite da capacidade e agora se vê com grande intensidade a diferença. Na segunda foto é possível ver uma pessoa em um corredor externo daquela casa, que não se vê na ampliação digital. Lembrando que ambas as fotos foram feitas a partir do mesmo ponto de origem que é a primeira foto com os prédios e aquela construção com as árvores ao fundo.
    

figura 24 – aproximação máxima do zoom digital (clique para ampliar)
 

figura 24b - aproximação máxima do zoom ótico da Hasselblad (clique para ampliar)

Como se diz, uma imagem vale por mil palavras! Não há dúvida alguma de que zoom com grande aproximação e qualidade tem que ser ótico. Mas não pense você que apenas em situações extremas assim, planos muito distantes que o zoom verdadeiro é útil. Usei o Moto Z Play com o snap Hasselblad True Zoom em uma grande sala de apresentações para capturar os slides sendo mostrados, algo que pelo tamanho da sala e minha distância da tela, ficaria ilegível usando apenas zoom ótico.

Em resumo, a câmera do Moto Z Play é muito boa. Apenas em cenas com menor iluminação ela perde definição em relação à câmera do Moto Z. E se fizer parte do dia a dia do usuário precisar de grandes aproximações, poder contar com o snap Hasselblad é fantástico. Este snap custa vendido à parte R$ 1499, mas se comprado com o Moto Z ou Moto Z Play pode custar apenas R$ 999. 



Moto Z Play – o campeão em autonomia de bateria e versatilidade
Moto Z Play – a melhor autonomia de bateria dentre todos smartphones
Moto Z Play - análise da câmera fotográfica e snap Hasselblad True Zoom



Nenhum comentário:

Postar um comentário