terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

PapoFácil #634 Deal cresce 30% em 2020 com mudança de portfólio focada em entregar valor end to end

Fabio Hayashi, CEO e Fundador, fala da atuação atendendo grandes bancos, fornecendo profissionais de TI para solucionar demandas específicas, porém, com a recessão que o Brasil sofreu em 2015, a Deal entendeu que precisava apresentar um diferencial para o mercado. Após a aquisição de algumas empresas; maior foco em employee experience (inclusive a Deal recebeu o prêmio Great Place to Work); e a reestruturação do portfólio, a empresa passou a identificar o problema de negócio do cliente para entregar uma solução end to end. Em 2020 a Deal cresceu 30% e foi destaque em três quadrantes da ISG. Agora, a empresa quer expandir a atuação para os setores de varejo e seguros.

Gravado dia 10/02/2021  



PapoFácil #634 Deal cresce 30% em 2020 com mudança de portfólio focada em entregar valor end to end




#PapoFácil #FlavioXandó #Deal #projetos #profissionais #TI #employee #experience #GreatPlaceToWork #solução #EndToEnd #crescimento #30% #varejo #seguros

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

PapoFácil #633 Avenue Code, a tecnologia trazendo novas experiências, novos produtos e melhorando processos

Alexander Carvalho, Global Vice President de Delivery, fala sua sua atuação  em consultoria de software focada na entrega de soluções de desenvolvimento ponta a ponta para a transformação digital em todas as vertentes, usando toda perspicácia técnica, capacidade colaborativa de resolução de problemas, e do grande profissionalismo dentro das equipes visando a real evolução digital dentro das diferentes verticais atendidas.

Gravado dia 05/02/2021   



Avenue Code, a tecnologia trazendo novas experiências, novos produtos e melhorando processos




#PapoFácil #FlavioXandó #AvenueCode #transformação #evolução #digital #software #desenvolvimento #consultoria #soluções #projetos #fimafim

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

PapoFácil #632 Everis - tecnologias inovadoras são usadas para acelerar muito as ações de marketing digital

Flavia Zannier, Diretora de Marketing, fala do desafio enfrentado pela área de marketing da Everis em 2020 e como foram relizadas ações para ampliar o contato com clientes, prospects e com o mercado. Os podcasts e webinars (Everys Talks) foram muito ampliado, usando muitas vezes tecnologias avançadas como as que eles implantam em projetos de clientes. Também a comunicação interna foi muito aprimorada por meio do programa Everys You que aproximou muito os funcionários também com o "CEO Virtual", o Ricardo Neves que entrou na empresa durante a própria pandemia.

Gravado dia 05/02/2021   

Tecnologias inovadoras são usadas para acelerar muito as ações de marketing digital




#PapoFácil #FlavioXandó #Everis #FlaviaZannier #marketing #ações #aproximação #podcast #webinar #seminário #EverisTalks #EverisYou #CEOvirtual

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

PapoFácil #631 Veritas amplia soluções para segurança em nuvem e SaaS e realiza o workshop Conquer Every Cloud

Gustavo Leite, Country Manager, conta sobre a evolução do portfólio obtido por meio de importantes aquisições como a Hubstor e Globanet que acrescentam aos poderosos recursos de backup local, em nuvem, multi nuvem, continuidade e insight de negócios as importantes funcionalidades de backup de sistema SaaS e transações pela Internet. Fala também do importante workshop CONQUER EVERY CLOUD, que trata de toda a estratégias proteção de dados de forma ampla e robusta na nuvem.

Gravado dia 10/02/2021   


Veritas amplia soluções para segurança em nuvem e SaS e realiza o workshop
Conquer Every Cloud




#PapoFácil #FlavioXandó #Veritas #backup #proteção #dados #nuvem #continuidade #negócios #SaS #Hubstor #Globanet #workshop #ConquerEveryCloud #segurança #LGPD

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Beats Flex – qualidade, praticidade e com valor acessível

Fones de ouvido sempre foram para mim um assunto mais do que sério! Possivelmente você não saiba, mas este aqui que escreve esse texto ou apresenta o vídeo já foi DJ por vários anos na adolescência e no começo da faculdade. O gosto por música (todos os gêneros) e por um bom som vem desde essa época, mas melhor nem falar há quanto tempo faz isso!! 


Anos atrás em um revival como DJ

Por isso toda vez que eu me encanto com um fone de ouvido, para não correr o risco de ficar sem um fone do qual gostei muito, eu compro dois iguais! No começo preferia os fones tipo “concha”, mas com o passar do tempo passei a preferir fones menores e mais leves. Aqueles do tipo “in-ear”, viraram os meus preferidos.

Quando se usa pela primeira vez um fone sem fio, não tem mais retorno. A praticidade é imensa. Claro que eu ainda tenho muitos fones com fio, os meus escolhidos e colecionados ao longo da vida, que ainda uso, mas os fones Bluetooth têm agora minha preferência total.

Já usei diversos modelos sem fio de diferentes marcas. Desde os mais simples e baratos até fones da Gorilla, JBL, Samsung como o Buds e o Buds Live e também o PowerBeats que foi meu fone no começo de 2018. Eu sou adepto de caminhada e corrida e eu me adaptei muito bem com este modelo. Mas ainda não era 100% pois, apesar da estrutura que se encaixa na orelha para firmá-lo, para não sair de posição, de vez em quando eu começava a perceber que o som ia ficando sem “força”. Ele estava aos poucos saindo da posição. Não era um problema do PowerBeats, aliás um fone vendido até hoje e que tem muita qualidade. Minha anatomia auricular que não se teve uma adaptação perfeita com ele.

O fone PowerBeats que eu tive, mas perdi

Mas por uma fatalidade do destino eu perdi o PowerBeats. Na verdade, fui vítima de um furto e por um motivo que não me aconteceria se fosse com o Beats Flex. Explicarei melhor isso mais para a frente

Recebi para testes uma unidade do Beats Flex na cor Flame Blue. Com minha experiência usando fones in-ear eu logo procurei e achei o par de borrachas que melhor se encaixavam nas minhas orelhas. Isso é incrivelmente importante. Com a adaptação mal feita a experiência de uso é tremendamente prejudicada. Ele vem com quatro diferentes jogos de borrachas para escolha daquela melhor para cada pessoa.


PowerBeats Flex

Saí para experimentar assim que carreguei a bateria. Aliás, acompanha o produto o clássico cabo com conectores USC-C nas duas pontas. O fone é entregue sem o carregador como a Apple começou a fazer desde o ano passado com os iPhones. Eu não tenho carregador com conector USB-C, mas os que uso com meus smartphones Android, serviram muito bem para carregar a bateria do Beats Flex em cerca de uma hora.

Como eu vinha usando o Buds Live da Samsung achei que iria me incomodar com aquele fio no pescoço como tinha também o PowerBeats. Mas o material plástico e flexível com o qual ele é feito, não me incomodou em nada e pude perceber que o que parecia ser uma desvantagem do Beats Flex (o fio no pescoço), acabou se tornando algo bastante interessante.

Nesses tempos difíceis de pandemia tenho saído para caminhar ou correr todo os dias no começo da noite. No meu bairro há ruas tranquilas, mas também avenidas movimentadas e com barulho de carros e ônibus, um cenário desafiador para qualquer fone de ouvido. Eu costumo ouvir músicas, podcasts ou conteúdo jornalístico, sendo que para esses dois últimos ouvir tudo com clareza é crítico. O Beats Flex não tem o sofisticado (e infelizmente ainda caro) sistema de cancelamento ativo de ruído presente em alguns fones de categoria superior. Mas a adaptação da borracha escolhida aliado à ergonomia do fone, fez com que o isolamento “mecânico” de ruído funcionasse muito muito muito bem!! Ponto super positivo!

Sobre a qualidade do áudio, isso merece uma explicação. Alguns fones que existem por aí alteram o perfil sonoro introduzindo artificialmente os graves ou os agudos, ou ambos visando “turbinar” o som e assim dando a impressão de que aquele fone é especial. Isso alegra algumas pessoas, mas quem é audiófilo e conhece fones de ouvido percebe aquele artificialismo. Achei o som do Beats Flex limpo, com as frequências bem equilibradas e principalmente sem esses exageros que existem em outros produtos, e olha que tem marcas bem conhecidas que se utilizam deste expediente.

Descobri uma virtude interessante do sistema de BlueTooth (classe 1) do Flex. Seu alcance é bastante generoso. Normalmente fones perdem sua comunicação com o smartphone ou mesmo com o PC quando nos afastamos 5 ou 6 metros ou quando vamos para outro cômodo da casa, mas o Flex mantém comunicação por uma boa distância! Ele usa o chip Apple W1 que segundo a Beats é o responsável pela conectividade aprimorada, qualidade da transmissão sonora e este alcance diferenciado.

O Beats Flex tem seus nas laterais os botões de liga-desliga e de comando, aumentar ou diminuir volume, pausa da música, avançar para a próxima música e retroceder que funcionam também para vídeos. Eu uso muito o Youtube Premium em segundo plano como se fosse podcast. Os comandos são super simples e funcionais. Mas preciso contar para vocês que algo me incomodava.  Eu não achava muito confortável usar os botões de pausa e de volume. Meio a contra gosto acabei me acostumando.


Principal módulo de comandos do Beats Flex

Mas quem estava errado era EU! Os fones têm uma posição certa para serem usados, orelha esquerda e direita. Outros fones que já usei quando vestidos do jeito errado até o som ficava sem graça. O Beats Flex tem uma marcação bem discreta com as letras “R” e “L” indicando direita e esquerda, mas o apressado aqui desde o primeiro dia estava usando errado e como o som estava bom, nem percebi. Talvez essa indicação pudesse não ser tão discreta.

Comecei a usar do jeito certo e a ergonomia ficou fantástica, bem mais intuitiva e os dedos certos sendo usados para cada comando.  Melhorou ainda mais a experiência, inclusive aprofundou a percepção do som. A propósito, o Beats Flex tem um microfone integrado que faz um tratamento do som por software, reduz o ruído do ambiente e assim se você atender a uma chamada telefônica ou de WhatsApp, seu parceiro no outro lado da linha vai ouvir um som limpo e claro.


Beats Flex

Deixei para comentar no final duas características que são muito importantes! A duração da bateria é crítica para dispositivos Bluetooth. A Beats divulga que com apenas uma carga o Flex consegue reproduzir conteúdo por 12 horas. É difícil comprovar este número com o uso no dia a dia, pois ninguém usa um fone doze horas ininterruptamente. Mas por meio do aplicativo da Beats no meu smartphone Android (sim, ele roda igualmente bem, não precisa ser um iPhone, que aliás tem um reconhecimento automático muito prático), o nível da bateria pode ser monitorado. Usando aproximadamente por 2 a 3 horas no dia, apenas precisei fazer uma recarga de sua bateria no final do quarto dia. Isso comprova que a duração divulgada se não é exatamente aquela, é muito próxima do número divulgado de 12 horas.

Além disso, se de repente você ao pegar o fone perceber que ele está sem bateria, uma carga de 10 minutos confere uma hora e trinta minutos de uso! Quem não pode esperar 10 minutos para sair de casa para caminhar e ter 90 minutos de música garantida? Isso é muito bom!

Não posso me esquecer de comentar que os elementos do fone, são imantados de tal forma que ao retirá-los dos ouvidos, eles naturalmente se aproximam e grudam um no outro. Ao mesmo tempo a reprodução da música ou vídeo são automaticamente interrompidos. Ideia simples e funcional, afinal se em seu caminho você se encontrar com alguém, se precisar falar com ele ou ela, basta remover os fones e deixar que “grudem” para pausar. E como eles ficam em torno do pescoço, é como se fosse um “colar”, não tem como perder, Da mesma forma, ao retornar para os ouvidos, o conteúdo será retomado. Com os fones Bluetooth “sem fio”, temos que dar um jeito de guardá-los em algum lugar, que nem sempre é possível no meio da rua.

Já usei fones Bluetooth com imã, mas o Beats Flex funciona de forma bastante automática, tirou, grudou. No começo desse texto ou vídeo, eu contei que meu PowerBeats fora furtado. Como ele não tinha essa facilidade de grudar de maneira tão eficiente, um dia eu precisei tirá-lo e como não dava para usar como um colar em torno do pescoço, eu o coloquei de lado e devo ter me levantado para ir fazer algo. Quando pensei em usar o fone de novo, algum larápio já o tinha subtraído de mim!! Com o Flex, usando no pescoço, isso não acontecerá. Aliás, o Flex vem morando em torno do meu pescoço desde que eu comecei a testá-lo!!

Importante destacar que o Beats Flex tem uma proposta ousada que é entregar bastante valor por um preço muito atraente. A Beats divulga que este é o fone de sua fabricação de menor preço e, isso não compromete sua qualidade. Pelo que venho percebendo em meu teste, isso é verdade. Seu preço sugerido para o varejo é de R$ 579, preço praticado no site da Apple. Fazendo uma rápida pesquisa achei varejistas online vendendo o Flex por valores entre R$ 545 e R$ 590. Ele está disponível em quatro cores, Beats Black, Flame Blue, Smoke Gray e Yuzu Yellow.


As diferentes cores do Beats Flex

Mas o que poderia melhorar? Afinal sempre podemos trazer sugestões. Quem sabe a Beats pode dar atenção? Citei antes que a identificação de direito (R) e esquerdo (L) poderia ser menos discreta, levaria menos pessoas a usar errado o fone como aconteceu comigo. Outro aspecto, eu fiquei muito acostumado aos fones que podem ser comandados tocando em sua parte traseira, para aumentar ou diminuir volume, isso seria interessante com alternativa ao botão existente.

A qualidade sonora é muito boa como eu destaquei, mas o aplicativo do Android (ou iPhone) poderia permitir alguns ajustes finos das preferências do som como por exemplo, um mini equalizador para atenuar ou realçar algumas frequências. A propósito, o aplicativo exibe um útil tutorial que indica como fazer a conexão com seu smartphone ou computador. O botão de liga e desliga poderia ter um imediato feedback sonoro para indicar a operação. Alguma vezes precisava retirar o fone do ouvido para olhar o led e  ter certeza de que ele estava ligado ou desligado.

 

O Beats Flex foi projetado pensando em uso esportivo, portanto mesmo que haja muito suor ele não será afetado. Da mesma forma ele resiste a respingos eventuais. Claro que não seria uma boa ideia pular em uma piscina com ele, aliás uma ideia bem sem nexo. Mas se ele tiver um grau a mais de proteção contra água (IP 67 por exemplo), seria uma garantia de que um esportista ao enfrentar em seu caminho uma chuva das boas, não irá danificar ou inutilizar o fone.
 

Muito apropriado para prática esportiva, caminhada, corrida, etc. Som bastante agradável, ótimo encaixa na orelha (uma vez que tenha escolhido a borracha certa), boa ergonomia, comandos à mão, sistema imã que pausa e retoma o conteúdo deixando o fone seguro em torno do pescoço, ótima duração de bateria e preço acessível para um autêntico e genuíno Beats by Dre, são as grandes virtudes do Flex Beats!!


Você pode assistir o vídeo desse review no Youtube no meu canal Flavio Xandó PapoFácil:






#FXREVIEW #PapoFácil #FlavioXandó #PRAJÁ #Beats #Flex #fone #avaliação #review #Bluetooth #inear #confortável #áudio #qualidade #imãs #autonomia #12horas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

PapoFácil #629 Samsung traz TVs 2021 Neo QLED, MICROLED e Lifestyle com sustentabilidade e acessibilidade

Thais Meglior, Gerente de Produto TV, fala do portfólio de 2021 de telas de TV Neo QLED, MICROLED e Lifestyle destacando o compromisso da Samsung com a acessibilidade, sustentabilidade e inovação com novos avanços que ajudam a redefinir o papel da televisão nas residências dos consumidores. Há evolução em múltiplas frentes, da imagem muito precisa e definida, som espacial, a iniciativa "Going Green" que por exemplo, retira pilhas dos controles remotos que agora serão energizados pela luz solar ou do ambiente.

Gravado dia 01/02/2021   


Samsung Electronics lança linhas de TV 2021 Neo QLED, MICROLED e Lifestyle, destacando o compromisso com o futuro sustentável e acessível 

A Samsung entra em seu 15º ano como marca de TV líder global com a visão "Telas em todos os lugares, telas para todos" 




#PapoFácil #FlavioXandó #Samsung #TV #2021 #QLED #MICROLED #Lifestyle #goinggreen #sustentabilidade #acessibilidade #inovação

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021

PapoFácil #628 Cisco aponta 6 tendências tecnológicas para 2021 e além

Max Tremp, Senior Director pre Sales Latam,  fala das mudanças ocorridas para permitir operações em modo virtual como legislar e seguir processos judiciais virtualmente, hospitais usando telemedicina, escolas modificaram-se para serem efetivas durante o confinamento e empresas de logística tiveram que adaptar seus modelos de B2B a B2C. Foi acelerada a transformação digital na América Latina e as tecnologias que a habilitam, incluindo as seis tendências cruciais para 2021 e no futuro.

Gravado dia 31/01/2021


Cisco aponta 6 tendências tecnológicas para 2021 e além



#PapoFácil #FlavioXandó #Cisco #Tendências #tecnologia #2021 #transformação #digitalização #mudanças #virtual #segurança

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

PapoFácil #627 Mageda Digital implanta a evolução digital que parte das pessoas integrando com a tecnologia

Evelise Canali, CEO e co-fundadora, fala do processo que permite adaptar o processo das empresas e seus negócio ao ambiente digital adaptando a tecnologia à realidade do cliente, solucionando dores reais do negócio, por meio da integração de pessoas e processos, sem receita única porque casa companhia tem seu próprio cenário e realidade. Também conta casos de sucesso muito interessantes pois tratam de empresas cujo segmento são tradicionalmente pouco digitalizadas.

Gravado dia 29/01/2021   


Mageda Digital implanta a evolução digital que parte das pessoas integrando com a tecnologia




#PapoFácil #FlavioXandó #MagedaDigital #evolução #digital #transformação #processos #pessoas #tecnologia #adaptação