sábado, 9 de agosto de 2014

Novo Ford KA chega trazendo tecnologias de carros grandes e inéditas

O novo KA chegou de vez agora. Foi iniciada a produção e em setembro ele estará disponível para os consumidores. De maneira análoga ao lançamento do Ecosport o novo KA foi sendo revelado aos poucos. Pude estar presente em algumas destas etapas a as registrei compartilhando com meus leitores:

Ford mostra carro conceito que quebra padrões de mercado
Nesta ocasião a Ford exibiu o modelo em escala real do veículo, sua parte externa, características de projeto, design, aerodinâmica. Ainda não havia interior nem motorização, mas o novo KA no formato hatch ganhou forma pela primeira vez. Semanas depois o KA+, versão sedan também foi apresentado de forma análoga



Nova fábrica controlada por WiFi produz motor inédito no Brasil
Foi inaugurada oficialmente a nova fábrica de motores criada em Camaçari para produzir o novo e moderno motor de 3 cilindros 1.0 litro que viria a ocupar o novo KA. Características importantes do projeto do motor foram apresentadas, bem como os processos de produção, validação e testes de qualidade.


figura 01 – verificação de funcionamento dos motores e controle de qualidade

A tecnologia por trás da eficiência energética dos veículos
Você conhece bem o PBEV (programa brasileiro de etiquetagem veicular)? Eu mal conhecia e aprendi muito nesta ocasião tendo ciência de como são feitos os testes de medição de consumo de combustível, emissão de gases, etc. São processos bem engenhosos e interessantes. Na ocasião a Ford apresentou os números oficiais de consumo do novo KA usando esta metodologia e posicionando o novo carro como o mais econômico de sua categoria e até mesmo mais que veículos ainda menores e mais leves.


figura 02 – economia de combustível é essencial para evitar desperdícios


Sistema inédito em carro pode salvar sua vida, mesmo inconsciente
Por fim foi revelado um sistema de segurança inédito no Brasil que realiza uma chamada de emergência para pedir socorro para o SAMU no caso de colisão ou acidente que provoque a deflagração do airbag ou corte do sistema de combustível. De série nas duas versões superiores do KA e opcional na versão de entrada inaugura no Brasil esta tecnologia que será aos poucos incorporada nos outros carros da empresa ao longo dos próximos meses. Destaque deve ser dada à estratégia da Ford de lançar este avançado inédito sistema em seu carro de entrada aqui no Brasil.




Com esta estratégia de revelar aos poucos o futuro carro a Ford amenizou ansiedades, é verdade, mas correu um risco de ao lançar o carro não haver mais o fator surpresa. Mas no meu caso aconteceu algo diferente. Conhecendo os “pedaços” apresentados o nível de expectativa pelo produto final foi aumentando. Raras vezes ao ver um novo carro você tem os olhos tão aguçados para olhar muitos detalhes e ver como tudo isso se integrou no produto final. Ao ser convidado para fazer este test-drive tive isso em mente. Quis conferir cada novidade antecipadamente divulgada e ver como ficou “o todo”, o produto final.

É  isso que vou mostrar a partir de agora. Sempre na minha visão própria de profissional de tecnologia da informação que tem grande paixão por carros, mas antes de tudo com uma visão de consumidor final do produto automóvel, sem grandes tecnicismos e jargões da indústria automobilística.


figura 03 – Novo KA hatch visão frontal


figura 04 – Novo KA hatch lateral traseira

 

figura 05 – Novo KA + sedan visão lateral

As características do novo KA foram bastante exploradas em meus artigos anteriores. Por isso vale um resumo das principais características antes de falar do test-drive propriamente dito. Ele vem de série com ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas com controle remoto, rádio MyConnection Gen.3 com MyFord Dock, airbag duplo, freios ABS com distribuição eletrônica (EBD) e controle de frenagem em curvas (CBC).
Além disso, oferecem opcionais exclusivos no segmento, como controle eletrônico de estabilidade e tração (AdvanceTrac), assistente de partida em rampas (HLA) e sistema de conectividade SYNC Media System com comando de voz e dois recursos pioneiros no Brasil: a Assistência de Emergência e o sistema AppLink para acesso a aplicativos do celular
  

figura 06 – Novo KA – características principais em destaque

O vídeo abaixo fala mais do KA e introduz o que veio a ser o test-drive.




Conhecendo de verdade o novo KA 1.0 - o test drive

Coube a mim um KA hatch com motorização 1.0 modelo SEL (topo de linha). Não por acaso porque era exatamente o que eu queria testar.

Dividi o carro com Renato Rossi experiente jornalista da mídia automotiva do Rio Grande do Sul, dono de sensibilidade apurada e grande conhecimento técnico. Trocamos muitas informações durante o teste, cada um com sua perspectiva. Foi muito rico.

O trecho definido era de cerca de 100 Km dividido em três etapas. Havia estrada, cidade, rua de paralelepípedo, lombadas (cidade e estrada), buraco, estrada de terra e até local com “crateras” na pista (choveu um bocado por aqui estes dias).


figura 07 – 41 carros a postos para o início do test-drive
 

Feliz proprietário que fui de um KA Image ano 2000, motor Ztec Rocam, na sua época o mais potente 1.0 litro do mercado (com 65 cavalos), eu tinha uma sólida base para comparação. Afinal o velho e bom KA fora meu carro do dia a dia por quatros anos (1999 a 2003). Baseado nisso advém meu primeiro comentário. O novo KA não se parece com um carro 1.0 como aqueles que você leitor já pode ter utilizado. Obviamente ele não tem a ferocidade (e velocidade) de um motor Ecoboost 2.0, mas definitivamente coloca a categoria 1.0 em novo patamar.

Acrescentando mais “cor em minha tela”, nas várias lombadas que tivemos que suplantar eu jamais precisei usar a primeira marcha, mesmo que praticamente parasse o carro nos obstáculos. Isso é para mim muito importante, pois é fator de conforto na condução nas ruas das cidades (não ter que trocar marchas à toa). Fruto de uma boa porção de torque (mas não todo ele) em rotações baixas do motor. Novidade também é o sistema para auxílio de partida em rampas (opcional) que segura o carro por até 3 segundos ajudando na manobra de iniciar a condução em aclives, presente em outros produtos da Ford.

A direção elétrica é de grande precisão e conforto. Meu carro atual tem o mesmo equipamento, mas trata-se de um carro um ou dois segmentos acima do novo KA (Honda Fit). O que percebi foi o equilíbrio entre maciez, leveza e precisão. Direção “manteiga” deixa o carro inseguro em velocidades altas. A calibragem desta direção está no ponto certo. Precisa e leve ao mesmo tempo.

O interior do novo KA é refinado. Tem o painel bastante integrado ao design de toda a parte interna e tem boa ergonomia. Os materiais são bem cuidados. É bonito o plástico fresado usado nas laterais e na parte superior da console, mas um tanto simples. Entendo que processos de produção dever ser otimizados e isso leve a algumas simplificações. Por outro lado desde a versão básica o novo KA tem recurso de comunicação com Blutooth para sincronização com smartphone (não é opcional). Já o sistema SYNC pode estar presente (opcional) e como outros carros da Ford há uma multiplicidade de funções, incluindo comando por voz.

Há porta objetos em muitas localidades e de muitas utilidades. Por exemplo logo abaixo dos comandos do ar condicionado há uma bandeja plástica para colocar carteira, telefone, etc. feita de um plástico emborrachado que impede que o que for guardado ali escorregue. No console central há diversos nichos para garrafas, latas ou copos. Isso só para falar de alguns, são mais de 20 porta objetos espalhados pelo interior.


figura 08 – interior do novo KA – hatch

Nos carros sem o sistema SYNC há no painel um porta objetos especial chamado de MyFordDock. Este serve para segurar um smartphone ou navegador GPS de maneira prática e segura, sem improvisos, sem grudar suportes no vidro. E ainda tem entrada USB para energizar o dispositivo.


figura 09 – 41 interior do novo KA – destaque para vários porta objetos

O motor de 3 cilindros é a grande novidade. Sua força aparece com mais vigor perto das 2700 a 3000 rotações. Nesta faixa algo acontece que parece que o motor ganha fôlego extra e passa a desenvolver mais plenamente sua potência. A propósito, e não por acaso que ao acionar no ótimo computador de bordo o modo ECO (economia) por volta desta rotação faz surgir um aviso no painel indicando ser o momento mais apropriado para a troca de marcha, visando a condução mais econômica possível.


figura 10 – novo motor 1.0 litro de 3 cilindros – 85 cavalos
 
Realmente gostei muito do computador de bordo. Mas não gostei dele não ser oferecido desde a versão mais simples. Para mim todos os carros deveriam ter este precioso recurso de apoio. Como o modelo testado foi o SEL, havia este valioso recurso. É bem pensado, bem resolvido e prático. No meu carro atual o botão para alternar as páginas do computador fica no meio do painel enquanto no novo KA está no local mais intuitivo e prático que é na lateral da alavanca junto à direção. Os totalizadores (Km/l médio, Km/l instantâneo, autonomia, velocidade médias e distância percorrida) podem ser zerados todos de uma só vez ou item a item (não tinha visto isso antes).

Durante o trecho que eu dirigi o novo KA, estrada mais cidade ele obteve o consumo médio de 11,4 Km/l usando etanol, um índice muito interessante e que condiz com os números previamente divulgados pela Ford. O modo ECO também é ativado em uma das páginas do computador de bordo auxiliando o motorista realizar sua condução da forma mais econômica possível.

Ainda me coube um novo trecho, parte da estrada de acesso ao hotel, uma estrada de terra de cerca de 10 Km (que pode ser vista na foto abaixo). Sempre dirijo com grande cautela, ainda mais quando o carro não é meu. Como este trecho da estrada estava praticamente deserta tive a ideia de testar o ABS do carro. ABS são todos iguais, certo? Não tenho certeza disso. E por se tratar de um carro de entrada, tinha que comprovar sua eficiência. Em trecho reto, com boa visibilidade, mas cujo solo era composto de terra ou areia, andando a cerca de 45 Km/h eu pressionei de uma só vez o pedal do freio, simulando uma freada de emergência, como se um garotinho de 9 anos de idade tivesse cruzado a estrada atrás de uma bola (cena essa aliás extremamente comum). Apesar do solo ser heterogêneo pude ouvir um barulho parecido com “bombadas” (atuação nas rodas controlando a frenagem) e o KA parou em linha reta sem se desviar um único centímetro da trajetória. ABS foi mais do que aprovado. Repeti o processo mais um ou duas vezes, com o mesmo resultado. O carro pode ser de entrada, mas o ABS é eficiente com todos devem ser. Precisava conferir.
  

figura 11 – Junto na novo KA na estrada de terra

Na sequência, a poucos quilômetros do hotel eu me lembrei que a versão SEL do novo KA tem controle de estabilidade. Jamais poderia testar este recurso, mas em uma estrada de terra, escorregadia e em velocidade relativamente baixa... por que não? Sem abusar da velocidade eu provoquei o volante na entrada da curva e acelerei. Não sei explicar o que senti, mas percebi que a frente do carro direcionou-se para a trajetória da curva de uma maneira que “não fui eu que fiz isso”. Foi algo bem sutil, talvez não perceptível para outras pessoas. Mas eu senti. Por mais uma vez repeti a manobra na curva seguinte.

Ainda em velocidade baixa eu provoquei o carro com um pouco mais de volúpia. Areia não perdoa e o carro perdeu a traseira. Por conta de velocidade tudo pareceu ter acontecido em câmera lenta, mas de fato a traseira do KA quis me ultrapassar por um instante. Eu aprendi a dirigir nestas condições (veja no texto Força emoção e tecnologia – test-drive do Troller T4) e por isso rapidamente eu contra estercei e o carro obedeceu de forma absoluta meu comando e a “perda de controle” durou menos que um segundo. Também tive a mesma sensação da primeira manobra. Eu atuei na direção visando corrigir a trajetória, mas o KA fez sua parte e também colaborou para ajudar a colocar o carro na rumo de forma mais precisa e rápida. ADOREI. Não repeti mais. Eu pudera testar o controle de estabilidade de forma segura e comprovar que é mais uma importante ferramenta de apoio à segurança que está presente nesta versão do novo KA.

Uma importante observação. Uma tecnologia como o ABS, que hoje é obrigatório e até prosaica, foi criada para ser usada com aviões na década de 50, mas totalmente hidráulica e mecânica. Somente com a o desenvolvimento da microeletrônica e sistemas informatizados, atuadores mecânicos e sensores que foi possível termos com baixo custo e baixo peso as soluções atuais. O mesmo pode ser dito do controle de estabilidade também presente no novo KA. Ambos são sistemas que se baseiam em sensores nas rodas e que no caso do ABS não permite que haja travamento por meio de alívio e pressão controlados no sistema de freio. Se não trava o carro não derrapa, não sai da trajetória e para mais rápido. Se prestar atenção dá até para ouvir o sistema funcionando!
O controle de estabilidade é essencialmente a mesma coisa. Porém a “inteligência” é bem mais complexa porque os dados dos sensores são interpretados e ao indicarem perda de controle do carro mecanismos atuam nas rodas de forma a levar o veículo de novo para a trajetória correta. Acho isso sensacional. E pude perceber o efeito. É um grande auxílio. Claro que se o motorista conduzir o carro muito acima do limite o sistema não faz milagre, mas a situação mais comum que é a eminência da perda do controle ele resolve muito bem, como eu comprovei.

Conclusão

O novo KA veio ocupar um espaço novo no mercado. É um carro de entrada “premium”. Tem tecnologias sofisticadas e até inovadoras (como o “Assistência de Emergência”). Seu motor 3 cilindros de destacada eficiência, tanto em desempenho como consumo o coloca em um patamar de dirigibilidade acima, criando um novo degrau, um novo paradigma. Verdade seja dita, os concorrentes VW UP e Hyundai HB 20 que também têm motores de 3 cilindros 1.0 litro também são muito avançados e trazem boa experiência ao dirigir. Mas a Ford se colocou a frente com a solução mais econômica e mais potente. Claro que este motor não vai levar o novo KA ser o campeão em provas de arrancada no autódromo de Interlagos, mas define um modelo a ser perseguido pelos outros concorrentes. Ainda é necessário reduzir 4ª ou 3ª marcha em subidas mais íngremes na estrada... Mas só dirigindo mesmo que se percebe o salto de qualidade desta motorização

A interior é requintado. Lembrou-me um tanto Focus ou mesmo o New Fiesta que testei no passado. Atualmente todos os fabricantes têm se preocupado com a boa qualidade e aparência do interior dos seus carros de menor faixa de preço. Os 21 porta objetos e nichos existentes é outro ponto de destaque. Eu apenas não me entusiasmei muito com o material usado nas partes contínuas do interior, um plástico fresado, mas gosto é subjetivo. A minha preferência teria sido por algo mais emborrachado e mais macio. O espaço interno, injustiçadamente não destacado por mim no corpo deste texto é fator de grande destaque. Com alguém com minha própria estatura (pouco menos de 1.80m) sentado ao volante, cabeça ainda bem longe do teto, o espaço para os passageiros do banco de trás é bastante generoso e até surpreendente.

 
figura 12 – Junto na novo KA na estrada de terra

A Ford deve ter boa aceitação do novo KA por ser de fato um produto evoluído, avançado e situado em uma faixa de preço competitiva ainda mais se comparado com seus concorrentes próximos. O desafio para a Ford é dosar os atributos do KA, opcionais oferecidos (por exemplo - não terá neste momento câmbio automatizado), calibrar preços, evitar que ele invada em algum momento o espaço do New Fiesta e ainda assim ser competitivo. Tanto KA como KA+ (Sedan) terão motorização 1.0 (novo 3 cilindros) , também 1.5 (motor do atual Fiesta) e ainda assim são três modelos para cada um: SE, SE Plus e SEL. São ao todo 12 opções cujos preços estão resumidos abaixo.

FordKA13
figura 13 – Hatch e Sedan, 3 modelos e 2 motores – preços de cada um (clique para ampliar)


 
figura 14 – Test-drive do novo KA em progresso

2 comentários:

  1. É UM CARRO OU UM BARCO?!
    30/08/14 – Adquiri o NovoKA em 30/08/14 que só foi entregue emplacado dia 04/09/14. Logo após 14 DIAS começaram a minha “NOVELA” com a QUALIDADE DE ATENDIMENTO E SERVIÇOS OFERECIDOS PELA MONTADORA para ajustes de VEÍCULO 0KM que paguei. Constato defeito no SOM que vem de série atendido dia 18/09/14 (OS 14962).
    20/09/14 – Veículo GUINCHADO pela 1ª VEZ (16 DIAS PÓS ENTREGA) por problemas (02 dias depois de ir a concessionária) até dia 22/09/14 onde foi constatada a falha de motor nas trocas de marchas, alinhamentos de peças incorretas além da permanência dos problemas no SOM original de série o qual foi necessário solicitar SOM novo e veículo entregue apenas 15/10/14 – 25 dias após ser guinchado OS15005.
    18/12/14 – Veículo GUINCHADO pela 2ª vez por problema novamente de falha do motor e identificado INFILTRAÇÃO INTENSA DE AGUA pelas portas dianteira direitas e traseira esquerda com forte acumulo de agua no carpete OS16324. Ao ACIONAR o seguro que OFERECEM NA HORA DA VENDA de VEÍCULO RESERVA até que descobrissem os problemas, fui informado que o pedido do guincho havia sido feito no sistema erroneamente pela atendente da central 24hrs, solicitando o serviço como “exceção” situação que ocorre para um veículo que já estivesse com a GARANTIA VENCIDA (02 MESES DE ADIQUIRIDO) bloqueando a O VEÍCULO RESERVA que OFERECEM NA VENDA. Como NECESSITO DE VEÍCULO PARA EXECER ATVIDADES PROFISSIONAIS, aluguei um por conta própria e SOMENTE 09 DIAS após (NATAL SEM CARRO), tive uma satisfação da ILUSTRE MONTADORA ter contato somente dia 27/12/14 que informou TER DESCOBRETO INFILTRAÇÕES e por NÃO POSSUIR AS PEÇAS, iriam SOLICITÁ-LAS À FABRICA e COMO ISSO NÃO IMPEDIA LOCOMOÇÃO retirasse o carro da concessionária e ANDESSE COM ELE ALAGANDO.
    26/01/15 – 01 MÊS DEPOIS fui informado que poderia ir à concessionária, pois HAVIAM chegado às peças da fábrica para o diagnostico de “INFILTRAÇÃO NO VEÍCULO” OS16857.
    19/02/15 – MENOS DE 01 MÊS do ultimo parecer, Veiculo GUINCHADO pela 03ª vez, SENDO QUE A ASSISTENCIA SE NEGOU AO SOCORRO 24HRS e sim tinha CONTATAR o SAC da FORD (Imagina se estou na beira de uma estrada?!) OS 17163 onde constataram que estava era “chovendo dentro do carro” DEFEITO PERSISTENTE desde 18/12/14. Após dois dias sem veiculo para locomoção, foi a acionado o setor de veículo reservas da garantia e atendente diz que vai buscar um fornecedor na área mesmo sendo já indicado um, após um tempo sem retorno da FORD, faço contato e sou informado que o setor fechou as 12hrs e só na segunda-feira após as 08hrs.
    28/02/15 – Informado pela concessionária que VEÍCULO ESTAVA PRONTO NOVAMENTE OS 17163 porem OUTROS ITENS SOLICITADOS NÃO. No mês 04/15 retorno para buscar o carro após exigência da TROCA DE CARPETE entre outros detalhes.
    Comecei a acionar as redes sociais as quais eles só colocam beleza daí alguém se dedicou porem PEÇAS VINDAS NOVAMENTE INCORRETAS e mais uma vez IDAS E VINDAS.
    29/06/15 Para surpresa: CARRO GUINCHADO POR INFILTRAÇÕES DAS CHUVAS DE JUNHO e sem posição até o momento.

    ResponderExcluir