quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Eternizando a São Silvestre 2012 , vídeo, música e muita emoção

Nada como juntar em um texto só dois assuntos que me fascinam. Tecnologia e corridas. Não é a primeira vez que faço isso. Anos atrás eu tinha ficado encantado com o sistema das empresas que tiram fotos nos eventos esportivos e as colocam online para a venda horas depois – “50000 fotos em 10 horas - a tecnologia ajudando onde nem imaginávamos”. Aliás, foi na ocasião que completei minha primeira (e até agora única meia maratona).

Há mais de 20 anos eu sempre viajo no réveillon e por isso a vontade de completar uma prova São Silvestre me acompanhava há anos!! Quis o destino que eu não viajasse este ano. Fiquei sabendo de última hora. Não havia feito a inscrição e por isso fui de “bicão”, também chamado de “pipoca” entre os corredores. O momento foi tão especial para mim que meio por acaso registrei a prova em vídeo. Foram vários clipes de 30 a 90 segundos que consolidei em um único arquivo. São objeto deste relato como produzi este vídeo, como me diverti e fiquei fascinado com a tarefa e o desenrolar da prova.


Concentração do grupo da RUN&FUN antes da prova

Corri com uma pochete e meu pequeno e bravo Blackberry Bold 9790. Ser pequeno e leve fez toda a diferença e ainda sim faz ótimas fotos de 5 MP e vídeo em 640x480, suficiente para o momento. A concentração para a largada é um momento louco!! Cada figura que aparece! Super heróis, figuras folclóricas como bumba meu boi e similares, simulacros de jogadores de futebol famosos e por aí vai!! Claro que registrei algumas dessas figuras em fotos!!

“figura” Hulk

“figura” misteriosa

Imaginava filmar apenas o momento da largada mostrando as pessoas nos estimulando e empurrando, mas conforme o tempo foi passando eu nem guardava mais o Blackberry na pochete e corri com ele na minha mão direita. Foi nesta hora que veio a ideia!! Corri ouvindo música usando o meu Sansa Clip MP3. Eu escolhera algumas dezenas de músicas anteriormente que achei serem boas para ouvir durante a corrida. Conforme as músicas iam se alternando aleatoriamente eu iniciava nova filmagem, comentava o que estava acontecendo naquele momento, citava a música e às vezes eu filmava eu mesmo esticando o braço para frente... Fui assim a corrida toda!!

Avenida Paulista um pouco antes da largada

Sou meio maníaco com registros das corridas e por isso mesmo corri com DOIS relógios com GPS. Um deles o ótimo Nike+ GPS (que testei tempos atrás) e também com o Garmin Forerunner 610 (que também testei), este último depois de um desagradável incidente a Garmin trocou para mim por este novíssimo que novamente estreei nesta prova.

Mas apesar de tão amparado por dispositivos tecnológicos, ao contrário de outras provas que fiz eu não estava nem um pouco preocupado com meu tempo. Para mim o desafio seria COMPLETAR a prova, sem andar, correndo o tempo todo!! Pouquíssimas vezes eu olhei para o meu tempo, às vezes olhava o ritmo instantâneo para não abusar e chegar cansado no final. Completar era o objetivo. Somou-se a isso fazer o registro em vídeo que compartilho no final deste texto.

Durante a prova, lá pelo 4º quilômetro

Descida em direção ao estádio do Pacaembu – todo cuidado é pouco, joelhos agradecem

Não vou falar ou escrever NADA sobre o percurso, pois o vídeo ficou muito legal e se você está aqui lendo este texto vai ter curiosidade de ver o vídeo. VALE A PENA!! O que ainda falta contar é como finalizei o vídeo, uma aventura à parte...

Tempos atrás quando fui convidado a fazer no site IT WEB as “Dicas do Xandó”, pequenos vídeos de 3 minutos apresentando tecnologias e produtos, fui introduzido a um mundo novo. A amiga e editora Adriele Marchesini me estimulou e me incentivou a usar um MAC da Apple para esta função. Fiquei encantado com o software IMovie a ponto de comprar o meu próprio MAC, um ótimo e acessível Mac Mini, o qual me deu um susto para fazê-lo funcionar quando o trouxe para o Brasil.

Mac Min – meu companheiro na edição do vídeo

Quando descarreguei os clipes criados no Blackberry eu me assustei, eram quase 30!! Mas não desanimei. Eu os carreguei no IMovie colocando-os em sequência. Isso eu já fazia bastante usando o Pinnacle Studio no PC. O desafio foi sincronizar as músicas!! Conforme eu disse a cada filmagem eu citava a música e sempre ela fazia parte do clima do momento.  PRECISAVA reconstruir isso afinal o som durante a prova estava apenas nos meus ouvidos (fones). Não fazia ideia, mas fui me insinuando nos comandos bastante intuitivos do Imovie e no final consegui fazer os recortes dos pedaços das músicas associadas aos momentos que vivi na São Silvestre.

Tela do software Imovie do MAC usado para editar o vídeo

O acaso foi meu amigo, pois várias músicas se encaixaram PERFEITAMENTE com o momento da corrida, notadamente o momento da chegada que está entre os minutos 35:00 e 37:10!! Outros momentos felizes foram proporcionados pela aleatoriedade de meu Sansa MP3 Player ao me brindar com músicas bem agitadas nas diversas difíceis subidas ao longo da São Silvestre.

Início da temida e longa (2 Km) subida da Brigadeiro Luiz Antônio

O gancho final tecnológico desta história foi meu capricho ajustando o volume de cada música para não se sobrepor à minha voz, que me fez gerar o vídeo 6 ou 7 vezes até que eu ficasse satisfeito. Mas ao ver o filme inteiro pela primeira vez achei que estava MUITO TREMIDO!! CLARO!! Correr com um smartphone na mão não daria mesmo a firmeza necessária. Tentei usar o recurso do IMovie para ajustar isso, mas não obtive sucesso. Quando fiz o upload para o YOUTUBE ele de forma muito inteligente me alertou que havia muita “tremedeira” e me ofereceu a possibilidade de estabilizar o vídeo. Meio incrédulo aceitei e fiquei PASMO com o resultado!! Claro que ainda há tremores perceptíveis, incluindo na reta final que nem falei muito, apenas me concentrando em terminar a prova. Mas é IMPRESSIONANTE a diferença! Fantástico recurso!

Segue mais abaixo o link e o próprio vídeo publicado no Youtube. Essa experiência foi fantástica!! Escrevo este texto na manhã do dia 02 de janeiro e confesso que estou nestes dois dias sentindo como se minhas pernas tivessem sido atropeladas por um trator. Dores musculares fortes causadas pelas 7 ou 8 subidas e descidas (incluindo a temida subida da Brigadeiro Luiz Antônio) que nos testam ao extremo. Meu grande amigo Nessim da RUN&FUN, veterano corredor da São Silvestre (8 ou 9 provas) me explicou isso:

“Bom dia Xandó  esta prova é assim, muito cansativa desgastante, fica- se cansado demais. Mas isto é São Silvestre...É a prova que mais me cansa. Preciso descansar  vários dias, mas é assim a São Silvestre. Por isso ela é boa e muito entusiasmante!! Apesar de tudo vale a pena e você teve um privilégio, este percurso foi um dos melhores mais bonitos de todas que já fiz.....Esta prova é uma vitória...parabéns para nós...Nessim “


E é isso, com as pernas ainda doloridas, mas muito feliz. Costumo chamar este tipo de dor muscular como “dor do bem”, afinal indica que me exercitei bastante. Também com uma unha do pé esquerdo quase caindo (estava grande no momento da corrida e por isso foi bastante forçada – aprendi , em novas corridas cortar antes as unhas dos pés bem curtinhas). Compartilho o vídeo com os amigos e leitores. Espero que gostem e que sintam ao menos uma fração de minha emoção ao longo da prova!!


Bem suado e cansado logo após cruzar a linha de chegada

Alegria por ter completado a São Silvestre 2012

Ahhhh, minha presença estará garantida na próxima se eu não viajar. Preciso confessar uma coisa. No meio da subida da Brigadeiro sem quer eu desconfigurei a câmera do Blackberry e sob este pretexto eu caminhei por 1 minuto enquanto ajustava o smartphone. Estava bem cansado e o me aproveitei desta desculpa para descansar um pouquinho... Ano que vem não caminharei um minuto sequer!! É minha meta!!!


VÍDEO NO YOUTUBE – segue link abaixo (veja em 480p)
http://www.youtube.com/watch?v=vEJzM_c6Lrc




PS: há no final do vídeo, após a chegada um momento “light”, o registro de minha caminhada para desaceleração, também com música aleatoriamente apropriada e algumas imagens, incluindo tempos por quilômetro e percurso da prova seguidos de algumas fotos...

Imagens Adicionais


Telemetria da prova by Garmin– veja a queda do ritmo no quilômetro final

Percurso da prova mostrado pelo Nike+ GPS

Ainda sequinho logo antes da São Silvestre começar

Mais um "peça rara"

6 comentários:

  1. Muito maneiro Xandó, parabéns por completar a prova, vou ver seu vídeo o texto ficou bem interessante de ler e deu curiosidade em assistir o vídeo. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal que você gostou!! Obrigado por prestigiar MAIS UM de meus textos!! Depois conta o que achou do vídeo!! Grande 2013 um grande abraço

      Excluir
  2. Xandó! Parabéns. Li o seu comentário e assisti ao vídeo. Ele transmite a verdadeira sensação que nós, corredores amadores, sentimos na corrida. Fiz essa corrida em 2008 com 34 graus e foi, sem dúvida, a mais difícil prazeroza ao mesmo tempo! E o Forerunner 610 cravou 15 km certinho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Oscar, muito obrigado por suas palavras. A ideia era mesmo capturar essa sensação "de dentro da pista" e a emoção do momento. Putz esse percurso com 34C deve ter sido HEROICO!! E o 610 manda muuuuuito bem!! Grande 2013!! Abraços

      Excluir
  3. Xandó.

    Parabéns,muito legal.Eu participei ao menos de 12 provas e apesar de alguns problemas de infra o que conta é a festa que os corredores fazem durante todo o percurso.
    Infelizmente tive que sair da Run & Fun por problemas de contusão mas logo mais estarei de volta.
    Um abração

    Nino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graaaaande Nissim!! Você tem um longo histórico de São Silvestre. Tenho certeza de que vai se recuperar e voltar para a R&F e para as provas como essa!! Sua companhia é indispensável!!! Aliás você assistiu o vídeo? Viu que eu comentei de você!?? :-) O que achou de seu amigo corredor-cineasta!??
      Grande abraço

      Excluir