segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Samsung On7 – excelente em quase tudo! Show de bateria e câmera!

O segmento do mercado de smartphones de aparelhos de entrada é muito importante, pois concentra o grande volume de vendas de nosso mercado, tão competitivo e cheio de alternativas. A Samsung tem uma velocidade e dinamismo para desenvolver soluções e novos produtos de forma surpreendente. Tanto em produtos de entrada como também no segmento premium como Galaxy S6, S6 plus, Note 5, etc. Isso permite que que ela traga algumas tecnologias e crie aparelhos no segmento de entrada com características muito interessantes. É o caso do On7. 


figura 01 – visão frontal e lateral do On7

Características e usabilidade

A saber, o nome On7 indica ser uma linha que é vendida exclusivamente online pela Samsung em sua loja virtual e vários parceiros com venda online. Eu pude usá-lo por um longo período de tempo e apesar de ser um smartphone de entrada percebi grandes virtudes, algumas até geralmente presentes em dispositivos mais sofisticados. Comecemos com um resumo de suas características:
  • Processador Quad Core de 1.2 Ghz
  • Memória RAM de 1.5 GB
  • Armazenamento interno de 8 GB (aceita cartão micros para expansão até 128 GB)
  • Tela de 5.5 polegadas resolução 1280x720 (HD) TFT
  • Câmera principal de 13 MP e frontal de 5 MP com foco automático e
  • Flash na câmera principal
  • Gravação de vídeo em 1920x1080 (FullHD) e 30 frames por segundo
  • Conexão 3G/4G
  • WiFi padrão 802.11 b/g/n 2.4GHz
  • Sistema operacional Android 5.1
  • Dimensões (mm) 151.8 x 77.5 x 8.2
  • Peso 171 g
  • Bateria de 3000 mAh (4G até 12 horas e WiFi até 14 horas)
  • Disponível nas cores prata e preto



figura 02 – visão frontal e traseira do On7

À primeira vista ele lembra muito seus irmãos mais velhos (e mais caros) fabricados pela Samsung, tanto no design do aparelho em si como pelas cores. Mas esta impressão é atenuada ao manipular o aparelho com as próprias mãos ao percebermos que ele é feito de plástico e não metal. Mas o plástico tem uma textura que se assemelha ao metal e o resultado prático disso é bem interessante. Ser de plástico não é problema algum. Não tem como o fabricante direcionar um aparelho para um segmento de custo menor sem que algum compromisso seja feito. Aparelhos metalizados têm um toque agradável, têm brilho, mas custam mais caro.


figura 03 – Samsung On7

O On7 suporta 2 chips que podem ser direcionados, por exemplo, para uso pessoal e profissional. De forma similar o On7 conta com o software MyNox que permite ter um sistema dual de contas no aparelho de forma a permitir uso de redes sociais, whatsapp, etc. usando identidades diferentes. Na imagem abaixo podem ser vistos os espaços para os chips, slot do cartão MicroSD e algo que julgo muito importante, a bateria removível. Dessa forma, se um dia a bateria tiver sua vida útil prejudicada pode ser trocada por uma nova. Com a tecnologia atual de baterias isso vai demorar bastante e o usuário possivelmente poderá preferir trocar de aparelho. Mas se quiser trocar a bateria, isso poderá ser feito.


figura 04 – Samsung On7 compartimento interno

Eu destaco a usabilidade do aparelho. Confesso que pelo fato de ter 1.5 GB de RAM, não tinha certeza de sua agilidade em situações de vários aplicativos abertos. Tenho testado smartphones com 2, 3 e até 4 GB de memória. Mas o On7 não apresentou problema algum na fluência de operação com os programas, sendo bastante ágil.

Senti falta do recurso de ajuste de luminosidade de tela de forma automática, recurso este presente em muitos smartphones. O usuário pode fazer este controle de forma manual ou se estiver em um lugar com muita luz, pode acionar o recurso “modo externo” que ativa imediatamente o brilho máximo.

Problemas com memória – 8 GB é impraticável

Tive problema com o On7, relacionado ao espaço de armazenamento interno padrão de 8 GB. Na verdade, sobra para o usuário pouco mais de 4 GB, pois o próprio Android e aplicações nativas ocupam espaço. Ao configurar minha conta Google eu pedi para que todos os aplicativos que costumo usar fossem instalados. Afinal o teste que faço é sempre em regime de uso REAL! Foram instalados os aplicativos da figura abaixo, mais as minhas 4 contas de e-mail, Waze, Facebook, Linkedin, Twitter, etc.


figura 05 –aplicativos instalados no Samsung On7

Mas após este longo processo de download fui instalar um aplicativo a mais. Apenas UM!! Vvejam na figura abaixo o que aconteceu:


figura 06 –falta de memória ao tentar instalar mais um aplicativo

Fiz uma limpeza de aplicativos menos necessários e consegui instalar o programa acima. Mas uns dias depois o sistema me avisou para que eu atualizasse vários aplicativos. Ao disparar o processo de atualização não havia espaço como mostra a tela abaixo:


figura 07 – falta de memória ao tentar atualizar aplicativos

Alguns foram atualizados e outros não. Nessa hora eu instalei um MicroSD de 16 GB que tinha sobrando, movi fotos para o cartão e precisei entrar nas configurações dos aplicativos e um a um pedir para movê-los para o cartão de memória (os que permitem que isso seja feito – não são todos). Depois disso fiz as pazes com o On7 e nunca mais tive problemas com espaço.

O que posso concluir sobre isso? A SAMSUNG e qualquer outro fabricante de smartphone não deveria JAMAIS oferecer ao mercado um aparelho com exíguos 8 GB de memória!! Não em 2016 (talvez isso fosse possível em 2012 ou 2013)!! Na prática são apenas 4 GB de espaço livre. Um usuário que não seja aquele que apenas fala no telefone e troca mensagens por whatsapp, vai ter problemas de espaço muito rapidamente. E nem todos têm o conhecimento para após instalar o cartão de memória, mover os aplicativos com seus dados para o cartão. Acham que basta inserir o MicroSD que tudo se resolve, que não é verdade.

Um cartão MicroSD de 16 GB custa no varejo R$ 30 (exemplo). A Samsung fabrica memórias flash e o custo de 16 GB para ela deve ser algo marginal, menos de R$ 5 (estimativa minha). Mas mesmo que fosse R$ 30, a experiência de uso para o cliente será infinitamente melhor se o smartphone não tiver essa “bomba relógio” pronta para explodir assim que o espaço acabar.

Por fim, ao inserir o cartão de 16 GB o espaço foi multiplicado por 5!!! Eu explico. Com 8 GB, 4 GB livres, some 4 os 16 adicionais temos 20 GB de espaço, cinco vezes mais que os 4 GB livres “originais de fábrica”. Sinto muito ter que detalhar tudo isso neste texto, mas a experiência de uso foi péssima quando no primeiro dia esgotou o espaço de aparelho sem ao menos ter capturado fotos, adicionado músicas, etc.

Com a memória adicional (que eu recomendo a todos que adquirirem este aparelho) e as devidas “manobras”, o On7 brilhou e pode mostrar todas as suas outras grandes virtudes!! Não são poucas. Duração de bateria e câmera são atributos que valorizo muito e o On7 se deu muito bem!!

Duração da bateria

Faço um teste minucioso, extenso, pelo menos 20 dias. Faço uso normal segundo o MEU PADRÃO de uso, que se não é o mais pesado possível (não jogo no smartphone), por outro lado uso muitos aplicativos no dia a dia.

O WAZE é fundamental para mim. Ao mesmo tempo este aplicativo é o maior triturador de carga de baterias que existe. É o meu teste extremo. O On7 se usado 100% do tempo com o Waze teria autonomia média de 5 horas e 54 minutos. Falando de outra forma, cada 1% da carga da bateria é drenada em 3 minutos e 31 segundos. Em termos de comparação,  Asus Zenfone 2 esgota sua bateria com WAZE em 4 horas e 6 minutos. Já o competente S6 Edge durou no meu teste com o Waze 5 horas e 20 minutos. Ou seja, o On7 usando Waze tem mais autonomia que o S6 Edge (que tem tela de maior resolução e por isso pode gastar um pouco mais).
     
O outro extremo do teste da bateria é a análise de “stand-by”, smartphone ligado todo o tempo, mas sem uso. Nesta situação o On7 ficou quase 140 horas em funcionamento (5 dias e 20 horas). Isso pode não significar muita coisa, pois não é prático ter um smartphone ligado e não usá-lo. Mas adicionando o cenário do WAZE fica muito bem estabelecido o limite máximo e mínimo entre praticamente 6 horas e 143 horas a autonomia do On7, apenas dependendo da forma de uso.


figura 08 – autonomia de bateria no Samsung On7 em diversos cenários


Veja na imagem abaixo o exemplo de um dos 21 dias de análise do On7. Percebe-se no gráfico como o tipo de uso a cada momento é importante (gráfico mais inclinado – maior consumo naquele momento). Importante também nessa figura a informação de que a tela consumiu quase 25% da energia, que indica um uso relativamente intenso. E mesmo assim neste dia já tinham sido usados quase 15 horas e restavam ainda 19% da bateria.
     

figura 09 – perfil de uso da bateria em um dos dias do teste

Outra informação importante a destacar é que o padrão de uso de uma pessoa, o meu padrão de uso, varia dia a dia. A figura abaixo mostra a autonomia aferida por 21 dias seguidos. Nos primeiros dias usei menos o carro e portanto menos tempo de WAZE. E nos dias subsequentes variações importantes entre 11 horas e 20 horas de autonomia. Da mesma forma usando o próprio WAZE, em função de trajeto, luminosidade do ambiente, etc. o WAZE também apresenta variação no consumo de bateria (autonomia prevista entre 5 e 7 horas).


figura 10 –autonomia da bateria ao longo dos 21 dias analisados no Samsung On7


figura 11 – autonomia da bateria analisados no Samsung On7 – aplicativo WAZE

Ainda existem recursos de “super economia” que podem ser acionados de forma a obter ampliação da autonomia em caso de necessidade, podendo até dobrar o tempo restante em função da administração da interface, comunicação ativa/inativa, etc.

   
Câmera fotográfica
     
Especificações à parte, o que interessa para o consumidor é a praticidade e a qualidade das fotos. A SAMSUNG tem tradição de qualidade na câmera de seus smartphones. Costumo citar nas avaliações que tenho publicado, de qualquer marca de smartphone, que a melhor câmera que vi em minha vida foi a do Samsung S6 Edge que testei em julho passado. Virou referência para mim. É “o time a ser batido”, e será difícil...

O On7 é um modelo de menor custo, mas não fez feio ao capturar fotos, muito pelo contrário. Registra rapidamente a foto e tem ótima sensibilidade. O que se percebe é que alguns recursos mais sofisticados, como por exemplo HDR (High Dynamic Range – ajuste de iluminação em cenas com fundo muito claro), não existe no On7, assim com ajustes manuais mais elaborados.

Mas pensando no perfil do consumidor deste aparelho o modo nativo e automático faz um trabalho notável. Fiz alguns registros em modo automático (o mais comum), em 13 MP. Vejam os resultados e julgue por si mesmo.


figura 12 – foto externa -  Samsung On7 (clique para ampliar)

A foto acima é supostamente “fácil”, pois o foco é no infinito, há bastante iluminação e assim os detalhes são capturados com muita riqueza. Perfeito o registro!

As próximas duas fotos são da situação de pôr do sol, que nem sempre a câmera regista o que o olho humano está observando. Achei que ficaram lindíssimas estas fotos, como sempre analisando detalhes, contrastes e as cores


figura 13 – foto externa -  Samsung On7 – pôr do sol (clique para ampliar)


figura 14 – foto externa -  Samsung On7 – pôr do sol (clique para ampliar)

As fotos internas, com flash, gostei muito da riqueza de detalhes e da definição das cores.
     

figura 15 – foto interna tirada com flash (clique para ampliar)

Mas o que separa as câmeras boas das excelentes são as fotos com pouca iluminação e sem flash. Considero que o On7 tem competência para tirar este tipo de foto, desde que tomados alguns cuidados. Em fotos internas, sem flash, obtive várias fotos desfocadas. Mas mantendo o On7 firme, bem apoiado obtive bons resultados. Nessa hora que a câmera do S6 dá um show em registrar fotos com baixa luminosidade. Mas a comparação é cruel, pois estamos falando de um smartphone que custa entre 3 e 4 vezes mais.

De toda forma observem a foto abaixo, capturada de noite. Há apenas a luz de um poste de iluminação que traz para a foto uma diversidade de graus de iluminação. A foto ficou muito boa, acima de minhas expectativas. Na segunda imagem há um detalhe da primeira foto que mostra (no zoom) algum nível de ruído na imagem, mas perfeitamente aceitável pela baixa iluminação.



figura 16 – foto externa -  Samsung On7 – sem flash (clique para ampliar)
   
    


figura 17 – foto externa -  Samsung On7 – sem flash – detalhe da foto anterior
 
   

A última foto que vou mostrar foi uma tentativa desesperada para capturar o que foi um nascer da lua mais bonito que vi em toda a minha vida. A lua apareceu imensa entre duas montanhas, cheia, super brilhante!! Mas o resultado foi insatisfatório, não capturando nem 1% da beleza daquele momento.




figura 18 – tentativa de foto externa do nascer da lua
  



Talvez o S6 pudesse ter feito uma boa foto... não tenho certeza, pois a situação era bem sofisticada em termos de luminosidade. Ou talvez apenas uma câmera reflex conseguisse eternizar aquele momento. Ficaria muito feliz de um dia poder tirar uma foto desse cenário com um smartphone!

Mas ficou a excelente impressão da câmera do On7, que nas situações do dia a dia e até em cenários mais elaborados produz fotos e vídeos (em 1080p) com excelente qualidade.

Sua câmera frontal (de 5 MP) também tem excelente qualidade, permite inclusive selfies panorâmicos e com recurso de embelezamento facial e ativação por gestos.


Conclusão

O SAMSUNG On7 é um aparelho de entrada, mas com grandes qualidades. Seu preço oscila entre R$ 1.049 nas loja da Samsung e R$ 949 em alguns varejistas online. Na minha opinião jamais ele deveria ter chegado ao varejo com exíguos 8 GB de memória por conta do problema relatado (falta de espaço no primeiro dia de uso). Mas R$ 30 ao gastar por um cartão de memória de 16 GB o problema é resolvido. Não tem alguns “mimos” como luminosidade automática do visor, nem HDR para as foto, recursos presentes em modelos mais sofisticados, mas não fizeram falta para mim.

Ele é ágil, responde rapidamente às trocas de aplicativos, algo que fazemos tantas e tantas vezes durante o dia e tem na capacidade de sua bateria e correspondente autonomia de uso como grande qualidade (entre os melhores que já testei – segundo o meu padrão de uso). Sua câmera fotográfica e filmadora são muito competentes e capazes de registrar os momentos do seu usuário com brilho, precisão, fidelidade de cor com grande qualidade. Fotos internas com flash e sem têm ótima qualidade (maior firmeza na manipulação necessária sem o flash). E fotos com baixa luminosidade podem ser feitas desde que respeitados os limites de qualquer câmera  de smartphone. É uma excelente opção para quem estiver em busca de um smartphone nesta faixa de preço.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário