domingo, 15 de janeiro de 2012

Correndo com um computador no pulso – parte 1

Esportistas amadores, desde os mais fanáticos aos mais “relax”, de uma forma ou de outra adoram acompanhar a evolução de seu desempenho. Este é o meu caso. Gosto de correr já faz um longo tempo. Registrei meus dados de corridas em tabelas (papel), depois planilhas e por fim cheguei até a desenvolver eu mesmo uma aplicação para esta finalidade. Mas hoje em dia tudo é diferente!! A tecnologia está do nosso lado!! Há muitas alternativas a disposição!

Há mais de quatro anos descobri os “computadores de pulso”, ou melhor, os relógios para corredores. Há muitas alternativas disponíveis, marcas e modelos. Alguns com mais ou menos recursos. Mas depois de quatro anos e três relógios adquiridos a Motorola me emprestou para testes seu mais novo dispositivo de apoio a corredores, o MOTOACTV. Isso me deu a ideia de elaborar um comparativo entre as quatro gerações de relógios para corredores.

Fazem parte deste comparativo: POLAR RS200 SD, GARMIN Forerunner 405, GARMIN Forerunner 610 e MOTOROLA MOTOACTV. Minha intenção é mostrar o que cada um deles tem de bom, seus principais atributos, pontos que poderiam ser melhorados... Seria injusto compará-los todos como se fossem produtos contemporâneos. Mas como os quatro, apesar das diferenças de idade entre os projetos, estão ainda à venda, obviamente com preços distintos, penso ser este comparativo útil para a comunidade de esportistas. Com exceção do MOTOROLA, os outros três dispositivos são meus os quais usei cada um deles por um longo tempo e conheço muito bem suas virtudes e eventuais problemas.

Relógios-computadores avaliados neste teste


Na foto acima podem ser vistos os quatro “computadores de pulso” analisados.


  • ·         Polar RS200SD
  • ·         Garmin Forerunner 405
  • ·         Garmin Forerunner 610
  • ·         Motorola MOTOACTV


Nesta primeira parte do texto eu falarei do POLAR RS200 SD e o GARMIN Forerunner 405.


FUNÇÕES EM COMUM

  • Todos estes dispositivos têm recursos “básicos” em comum. Na verdade não são nada básicos, são funções até bem sofisticadas que disponibilizam informações valiosíssimas para o atleta amador acompanhar seu treinamento.
  •  Com uso de cinta peitoral capturam os batimentos cardíacos durante o exercício. Permitem emitir alerta se a pulsação máxima determinada para a sessão for ultrapassada.
  • Armazenam o tempo de cada “volta” de forma automática ou manual, sendo que o mais comum é usar o “autolap” a cada 1 Km.
  • Dispões de “oponente virtual”, ou seja, mostra na tela o corredor está adiante ou aquém de um corredor que mantenha determinado ritmo, por exemplo, cada quilômetro em 6 minutos, informando se você está na frente ou atrás dele e quantos metros ou segundos.
  • Exibem o ritmo instantâneo de sua corrida, seja em Km/h ou minutos/Km. É análogo ao “velocímetro” do corredor. Muito útil para ajudar a manter uma cadência pré-definida. Também exibe o ritmo médio de todo o exercício até aquele momento (em Km/h ou minutos/Km).
  • Exibem a faixa de esforço naquele momento em percentual, ou seja, se o corredor está entre 60%-70%, 70%-80%, 80%-90% do esforço máximo preconizado pela idade. Isso é importante, pois durante os treinamentos, cada sessão pode exigir trabalhos em diferentes regimes aeróbicos, visando estímulos e desenvolvimento de diferentes.
  • Exibem em função de peso, altura, sexo e batimentos cardíacos, o consumo de calorias daquela sessão até o momento.
  • Há diversas “páginas” com informações sobre a corrida podem ser customizadas para cada usuário. Podem ser escolhidas quais e quantas informações em cada página. Eu prefiro usar todas as páginas e com uma ou duas informações por página, pois assim minha vista cansada agradece os dígitos grandes obtidos com esta configuração.

POLAR RS200 SD

É o mais antigo deles, mas ainda hoje um sucesso entre os corredores. Foi lançado por volta de 2007. Seu “kit” consiste do relógio, cinta para captura dos batimentos cardíacos e o “foopod” (dispositivo para ser amarrado junto ao tênis de corrida). Existe também o modelo RS200 (sem o SD) que não traz o footpod. Este “apêndice” por sua vez é responsável por medir a distância percorrida durante o exercício. Esta informação foi o grande motivador para eu comprar este relógio tempos atrás.

Polar RS 200 SD


Este recurso foi muito importante para mim, pois toda vez que viajava, enquanto não medisse com o carro o percurso que iria correr eu não ficava sossegado. Com um relógio que “sabe” o quanto você correu, eu posso sair por qualquer caminho e vou acompanhando a distância todo o tempo. O RS200 SD usa o “footpod”, um tipo de “pedômetro”, na verdade um “sensor inercial” conforme diz a POLAR, que percebe sua passada e contabiliza a distância. Mas as pessoas têm tamanhos distintos de passadas. Como fica isso?

Acredite, este sensor é super preciso dando resultados muito bons sem ajuste algum. Para os mais perfeccionistas um processo de calibragem pode ser feito ajustando um fato de correção entre 0.80 e 1.20. No meu caso, já com o fator 0.973 em uso, bem ajustado, descobri que quando mudava de modelo de tênis tinha que fazer novo ajuste (0.968). Mas só perfeccionistas como eu têm esta neurose por precisão. Estou seguro de que fiz um bom trabalho de calibragem. Em novembro de 2010 corri uma meia maratona e usei o POLAR RS200SD. Ele acusou 21110 metros (era para registar 21092 – erro de 18 metros apenas!!).

Aliás eu escrevi sobre este assunto e publiquei um texto chamado “50000 fotos em 10 horas” que conta sobre esta prova na qual usei dois relógios, o POLAR e o GARMIN 405 (ambos citados neste texto).

O Polar RS 200SD tem alguma funções únicas, não compartilhadas mesmo pelos dispositivos mais novos. Com Polar sempre foi forte em medição de batimentos cardíacos, este relógio é capaz de fazer uma análise do ritmo do coração e inferir o índice de VO2 do atleta, ou seja, sua capacidade de absorção de oxigênio. Para isso atletas fazer o chamado exame “ergoespirométrico”. Já fiz ambos, o do Polar e o exame na academia. O Polar errou no máximo por 2 ou 3 pontos. Muito bom.

Outra exclusividade do Polar é que pelo fato de usar o footpod, um sensor inercial, pode ser usado para medir distâncias em ambientes onde o sinal de GPS (usado pelos outros 3 relógios testados) não têm sinal. Até mesmo distância percorrida em uma esteira ergométrica.

Pontos Positivos: sensor de distância (ainda melhor se calibrado pelo usuário), sensor de batimento cardíaco aprimorado (mede até o VO2 do atleta), tamanho reduzido, leve, pode ser usado como relógio do dia a dia.

Pontos Negativos : o footpod usa pilha (AAA) que acaba de uma hora para outra, as vezes deixando o atleta na mão no meio de uma corrida, embora uma pilha dure muitas semanas (até meses). Não dispõe de interface para transmitir dados para o computador do usuário com fazem os outros 3 relógios testados.

Preço referência : US$ 239 (fonte AMAZON.COM)


GARMIN FORERUNNER 405

Lançado no final de 2009, começo de 2010 foi para mim uma revolução em termos de possibilidades. Eu via pessoas que já tinham relógios de corrida com recurso para medir distâncias com GPS, mas achava que ainda não era o momento. Os relógios eram grandes, desajeitados. Não dava para serem usados como relógios do dia a dia. Vejam a foto abaixo, ilustra muito bem este ponto de vista.


Comparando o antigo Garmin 201 com 405

O Garmin Forerunner 405 é um “relógio”, do tipo comum e que ainda tem GPS e é um assistente para o atleta e não apenas um dispositivo para corridas. Tinha chegado a hora de eu aposentar o Polar RS 200SD e embarcar na era do GPS.


O elegante Garmin Forerunner 405

Mas o maior atrativo desta solução foi a possibilidade de transmitir os dados para o PC e ter um banco de dados com todas suas atividades. E mais!! Usando as informações de posição do GPS, não apenas distância, tempo e ritmo a cada quilômetro, pulsação, etc. eram armazenados, mas também o MAPA do percurso!! E este mapa pode ser exportado para o GOOGLE MAPS para uma visualização ainda mais detalhada e precisa!! Isso é sensacional!

De certa forma isso passou a ser mais um estímulo para as minhas corridas. Toda vez que viajo gosto de “colecionar” percursos e novos locais, cidades ou até países no GPS. Virou uma curtição além de toda informação de apoio que o dispositivo oferece.

A forma de comunicação do relógio com o computador é por meio de um dispositivo USB, muito parecido com um pendrive, que após inserido no PC dispara automaticamente o processo de transferência. Antes o usuário deve fazer seu cadastro no site da Garmin  http://connect.garmin.com  com seu perfil, usuário, senha, etc.

Se a pessoa tem um PC em casa, pode deixar o USB da Garmin sempre conectado. Assim a simples proximidade do relógio com o PC dispara o processo de transferência. A pessoa não precisa fazer absolutamente nada para que isso aconteça, é 100% automático. Uma imensa vantagem em relação a dispositivos que exigem conexões explícitas a cabos, ativação manual de software... nada disso. Com o 405 isso é “pa-pum”!!! Abaixo podem ser vistas duas telas exemplo com os dados da corrida.


Resumo do percurso e mapa (clique para ampliar)

Ritmo km a km e gráficos (clique para ampliar)


Visão de satélite em zoom de parte do percurso na USP (Universidade de São Paulo)

O que se vê acima é apenas uma pequena parte das informações possíveis de serem analisadas e guardadas após uma corrida. Só mesmo usando no dia a dia para se inteirar de tudo. Um exemplo legal é “elevação” (quanto o corredor subiu no percurso), neste dia não me aventurei na temível subida da Biologia da USP. Assim a variação de altitude ficou entre 723m e 750m acima do nível do mar. A análise dos batimentos cardíacos pode ser feita em valor absoluto (batimentos) ou % do batimento máximo, e assim por diante. Tem até uma tela que mostra uma animação do transcorrer do percurso. Também se vê neste gráfico que lá pelo Km 10 houve uma queda brusca da pulsação, que indica que eu devo ter parado para tomar água e isso me fez recuperar um pouco o fôlego!!

O Garmin Forerunner 405 tem um sistema de comandos do tipo “touch”, mas é um pouco diferente. Ele tem um “anel” prateado em sua volta denominado “Bezel”. Movimentos circulares no Bezel movimentam as ações dos menus ou alternam modos de visualização. O “Bezel” é um recurso polêmico, do tipo AMO ou DETESTO. Antes de comprar li CENTENAS de opiniões no Forum da AMAZON e era bem isso. Algumas pessoas não sabiam usar e falavam mal. Como o software do relógio é atualizável, o meu já veio com uma versão mais evoluída (2.4 – já está na 2.7) na qual boa parte dos problemas da hiper sensibilidade do Bezel fora corrigida. Então eu passei a integrar o time do “eu amo o Bezel”!!

Destaco que o Bezel é sensível à água. Dedos muito suados não conseguem acioná-lo com perfeição. Ao afundar o relógio na água a luz acende, como se tivesse sido acionado o comando de luz do relógio. Com a versão atual do software o Bezel pode ser usado sem problemas, mas é conveniente destacar estes fatos todos.

Sobre sua característica “a prova de água”, devo frisar que este relógio NÃO DEVE ser usado para mergulhos. Ele pode ser mergulhado até 1.5 metros no máximo e por tempo limitado. Resiste à chuva durante a corrida, pode tomar banho com ele, mesmo que de banheira, pode mergulhar na piscina (lazer), mas não deve ser usado para prática de mergulho em maiores profundidades.

Em relação à duração de bateria, assunto importante, há comentários a fazer. Com o relógio novinho fiz um passeio de bicleta de mais de 8 horas. Pude registar com perfeição toda a aventura. 8 horas é o valor especificado para uso com o GPS ligado o tempo todo. No outro extremo usado apenas como relógio, a GARMIN afirma que ele dura cerca de 15 dias. Assim seu usuário deve plugar o cabo USB em um PC (ou na tomada diretamente com um adaptador que é fornecido) para recarregar a bateria do relógio. Eu me acustumei com isso, sem grandes problemas.


Em relação ao GPS propriamente dito, o sinal geralmente é obtido em menos de 5 minutos. Embora quando o GPS fica muito tempo sem ser usado, demora muito para obter o sinal. Já teve ocasiões que demorou mais de 15 minutos, muito incomôdo. Mas se usado com frequência fica “pronto” entre 1 e 3 minutos.

Depois de um ano usando um belo dia a bateria ficou “maluca”. Usava em apenas um treino e logo depois acusava “bateria fraca”. Descobri tratar-se de alarme falso pois conseguia fazer ao menos mais um treino com este alerta sendo exibido. Quando atualizou o software para a versão 2.7 este problema sumiu e o medidor de carga voltou a funcionar, mas percebi que a duração da bateria com o uso do GPS caíra sensivelmente, para no máximo entre 4 e 5 horas. Algo que acontece com baterias de forma geral, usadas amiúde perdem eficiência.

Com o uso intenso, bate aqui, raspa ali, o 405 fica meio descascado e perde sua beleza inicial. Embora permaneça totalmente funcional. Veja abaixo a foto do meu como ficou. Outra coisa importante, como eu nunca tirava o relógio para nada, corrida, banho, dia a dia, sol, chuva, a pulseira começou a ficar ressecada e um belo dia se rompeu. Procurei assistência da Garmin no Brasil e tive um orçamento de R$ 180 para a troca da pulseira! 
Achei um absurdo! Fiz um quebra galho, literalmente amarrei com linha e colei a pulseira. Em viagem para os EUA comprei na AMAZON o kit com pulseira e ferramenta (específica) para a troca por US$ 20, um “pouquinho” mais barato que o preço cobrado aqui.



Garmin Forerunner 405 “surrado” após usado por ano e meio

Pontos Positivos: o modelo completo, com cinta para medição de pulsação (há modelo sem a cinta) e USB para comunicação tem um preço que na minha opinião o torna de longe o melhor CUSTO BENEFÍCIO para o atleta!! O GPS é muito preciso. O site que recebe os dados é sensacional, uma revolução na minha forma de avaliar minhas corridas. Visor possui configuração das páginas com informações super flexíveis e completas. Permite exibir entre um e quatro dados por página com dígitos maiores ou menores.

Pontos Negativos : se usado pouco o GPS pode demorar demais para obter sinal. A pulseira se não for bem cuidada pode se fragilizar e quebrar (cara para repor no Brasil). O Bezel (anel de comando via toque) pode não agradar a todos, mas funciona bem após se acostumar com ele.

Preço referência : US$ 190 (fonte AMAZON.COM) o mais barato do teste e por isso mesmo o melhor custo benefício hoje em dia.

Existe um modelo Forerunner 410 que é um 405 melhorado, essencialmente o mesmo relógio, mas com Bezel alterado. Não testei este modelo. Custa US$ 240 nos EUA.


No próximo texto, na parte 2 deste teste, falarei sobre o GARMIN Forerunner 610 e sobre o MOTOROLA MOTOACTV, ambos muito modernos, atuais e também surpreendentes. Até lá!!!



Garmin Forerunner 405 e Motorola MOTOACTV



LINKS RELACIONADOS


Correndo com um computador no pulso – parte 1 - Polar RS200SD e Garmin 405



Correndo com um computador no pulso – parte 4 - Nike+ GPS


Correndo com um computador no pulso – parte 5 – TomTom Cardio Runner 
 

27 comentários:

  1. Prezado Flávio.

    Interessante seu relato sobre a bateria do Forerunner 405. Tenho um modelo destes com pouco mais de 1 ano de uso. Recentemnte ele ficou parado por uns 2 meses, impossibilitado de correr que estava. Depois disso não funcionou direito mais. A bateria, mesmo depois de um novo período de recarga prolongado, despenca de 90% para 0% de uma vez e o danado "morre". Pareado com a cinta então, vai embora a carga rapidinho. Tem dias que ele dura 3 horas. Tem dias que dura 5 minutos. enfim, Confiabilidade zero. Como solução imediata pensei em trocar a bateria. Só achei uma pessoa que faz isso em SP de forma autorizada (moro em MG) e não é nada barato. Estou com a sensação que "miquei" com este Garmin.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi Frederico, obrigado por compartilhar sua experiência aqui no blog.
    Como falei o meu teve este sintoma por um tempo, caia de 100% para 0% em pouco tempo. Mas no meu caso o curioso é que mesmo com 0% (quando caia de uma vez) eu conseguia usá-lo numa boa por pelo menos um treino. Um belo dia após atualizar a versão do software ele ficou "estável". A bateria não dura mais 8 horas, dura umas 5 horas, mas não cai mais de uma vez só. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Flávio, pela resposta. Só uma perguntinha mais, se não for incômodo: como faço para atualizar o software?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Caro Frederico, se você procurar no site da GARMIN por Forerunner 405 update vai achar uma página na qual você carrega um software e com o USB ANT plugado no PC ele faz a atualização do software. Fiz já duas vezes. Da 2.4 para 2.5 e da 2.5 para 2.7 (pulei a 2.6 pois não tinha visto).

    ResponderExcluir
  5. Caro Flávio,

    Parabéns pela análise realizada. Muito técnica e precisa. Adoraria ler mais reviews deste nível. Adorei a leitura. Sinceramente, jeancarlo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal que gostou também da parte 1 (Polar e 405). Adorei fazer esta sequência de testes pois adoro correr!!! Abraços

      Excluir
  6. ola flavio meu nome é wilton
    gostaria de agradecer por esse blog tao informativo q por sinal não encontrei nenhum outro sobre esse tipo de reportagem..
    gostaria de saber oque você axá sobre o relógio da NIKE com GPS mesmo sem ter testado oque você projeta sobre ele e etc..
    e gostaria de saber se existe esses sites de dados traduzidos em português pois desconheço alguns detalhes sobre informações q aparecem e em inglês fica mais difícil ainda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Wilton. Muito obrigado por suas gentis e encorajadoras palavras sobre e meu texto e sobre o blog. Eu tentei obter o relógio da NIKE na ocasião, mas não consegui, por isso não o testei. Foi uma pena. Pelo que sei o relógio da NIKE usa o sistema de GPS da TOMTOM, tradicional fabricante de GPSs (aliás é o que uso no meu carro). Sendo assim não vejo como o NIKE não ser também bom como o GARMIN e o MOTOROLA para medir as distâncias.
      Quanto aos manuais é possível que todos eles tenham manuais em PDF em português. Precisa procurar. O GARMIN 610 por exemplo, eu baixei o PDF em português...

      Excluir
  7. Bom dia Flavio Xandó, li seu artigo referente aos relogios e gostei bastante, achei muito interessante. Sou militar. Assim que entrei na polícia odiava definitivamente corrida, mas por ironia do destino resolvi gostar da área militar, mais especificamente da área de Operações Especiais, comumente pelos civis chamado de BOPE. Para se entrar nesse grupo especializado necessita-se de um preparo fisico do caralho e foi ai que resolvi me adaptar á corrida e hj estou aqui buscando informações á respeito de relogios que marcam distancias para que eu possa me preparar bem a ponto de atingir marcas e quem sabe um dia eu Ser "CAVEIRA". Pois bem, já que vc tem um conhecimento mais aprofndado da área, gostaria de saber se pode me indicar um relógio que marque distância nao necessiariamente com muita precisão, mas que seja bom de se usar, nao precisa ter toda essa tecnologia, mas que tenha um custo beneficio, que a bateria seja boa de preferencia que marque a distancia sem precisar usar o computador de modo que na medida que eu corra eu saiba quantos km eu percorrir ou estou percorrendo, aguardo respostas. parabens pelo post... Me chamo Rannieri email: rannieri_ferreira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Ganhei um Nike + SportWatch GPS by TomTom e no dia 27/09/2011 comprei na loja da Nike uma cinta da Polar para usar com o relógio.
    Agora o relogio não conecta mais com o computador via USB. Mandei um e-mail para a Nike onde ele pedem a NF. como ganhei de presente não tenho a NF somente o Manual+Caixa+adesivos e o Manual da Polar mais NF da cinta comprado na loja da Nike em Campinas.
    Falei no site da Nike e fui informado que preciso da NF. Quem me deu o presente não tem mais a nota. Agora estou muito insatisfeito com a Nike. um produto que apresenta um vicio oculto. A internet esta cheia de relatos que esse relógio é uma "bomba" e a Nike fica cheia de burocracia para resolver os poroblemas dos consumidores.

    E o pior. hoje falei no SAC da Nike com a Patricia (gravei a ligação) mostrei a ela outra ligação gravada da Assistencia Autorizada da Nike (Watchbox) informando que não conserta o relógio. Ela me disse que o relogio mesmo comprado no Brasil tem garantia de um ano. Se passar um ano e um dia o relogio fica sem assistencia tecnica oficial da Nike do Brasil. Uma vergonha !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo seu relato é muito importante. Recentemente obtive junto a NIKE um relógio destes para testes e também desenvolvi certa proximidade com as pessoas da empresa no Brasil (mais com TomTom do que Nike). Vou tentar conversar com eles para tirar esta história a limpo. Estranho mesmo o produto não poder contar com assistência técnica alguma...

      Excluir
  9. Boa tarde Flavio, encomendei um garmin 405 dos EUA, só que a pessoa nao esta encontrando o garmin 405. Ela disse que encontrou o garmin 410, sera que compensa, levando em conta custo beneficio?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Antônio o 410 é uma evolução do 405. Não sei o preço, mas sei que é essencialmente o mesmo relógio com progresso no "Bezel" (o anel touch que comanda as funções). Imagino que o custo benefício permaneça pois o 610 (que é ótimo) é bem mais caro (US$ 399).

      Excluir
  10. Olá Flavio, meu irmão veio do EUA e me trouxe o 410, ontem fazendo testes e aprendendo mexer (que por sinal estava muito bom, muitas ferramentas que auxiliam nos treinos) a tela dele ficou bem fraca, preciso olhar com atenção para verificar o que está aparecendo. Quando ele entra em modo de "espera" que visualiza a hora, aparece forte, legal, porém quando mexo nas opções fica bem fraco... já mexi no contrate, brilho e nada. Você ja escutou alguem falando sobre isso? como poderia resolver? davicomex@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo (David?), isso não aconteceu comigo não. Ainda tenho o 405 mas não o uso mais e ele está firme e forte. Sugiro que pesquise este acontecimento no forum da Garmin, aliás muito bom. Também já mandei e-mail para o suporte e em dois dias me retornaram. Abs

      Excluir
    2. hehe quase certo, o nome é DAVI... até o momento não consegui arrumar, fiz uma atualização no software, porém sem sucesso. Entrei em contato com o suporte Suporte.BR@garmin.com e estamos trocando e-mail para tentar resolver, vão verificar a garantia e tentar solucionar. Agradeço pelo contato e vou acompanhando suas atualizações sobre corridas...

      Excluir
    3. Caro DAVI, só vi este seu comentário agora. Espero que tenha conseguido resolver o problema.

      Excluir
  11. Ola Flavio, sou iniciante nas corridas, mas ja sinto a necessidade de ter um relogio pra controlar meus treinos, li suas materias e comparativos e mas mesmo assim tenho duvidas, a principio eu ia comprar o NIKE+GPS pois esta com bom preco e tinha lido que ele era um bom relogio para iniciantes,pois eh facil de usar, mas tb li que ele tem dado problemas entao fiquei preocupado, nao sei mas se devo compra-lo, ai lendo em seu site em ouyros descobri o GARMIN 410 achei ele interressante e tb tem um preco acessivel, pois eh agora nao sei qual eu compro, vc como tem mais experiencia no assunto me indicaria qual dos dois, ou vc me indica algum outro modelo.
    Ronaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Ronaldo eu tive um Garmin 405, antecessor do 410 o qual também era ótimo. O 610 com sua interface "touch" é ainda melhor, mas para alguns o preço extra não compensa. Quanto ao Nike+ eu o estou usando entre 2 e 4 vezes por semana desde julho de 2012 e ele está perfeito!! Resumindo, o Nike bem cuidado é confiável, o 410 tem um ÓTIMO custo benefício. Um desses dois vai ser ótimo para você!! Abs

      Excluir
  12. Olá, Flávio! Curti muito o seu blog e, como você, sou viciado em correr. Vi você comentando sobre o seu Nike Sportwatch e por sinal eu também tenho um. Queria saber qual o desempenho da bateria do seu, depois de 100% carregado e correndo todos os dias, o meu dura umas 2 ou no máximo 3 corridas usando o GPS por volta de 1 hora por dia até acabar a carga e eu ter que carregar de novo. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carlos, muito obrigado pelo apoio!!
      Eu adoro corridas, posso até me considerar viciado, mas por questões diversas de trabalho não tenho neste momento conseguido correr mais que 2 vezes por semana. Mas a bateria do Nike é "valente". Sem correr (já aconteceu) ela dura uns 20 dias. Correndo eu diria que é parecido com o que você falou, talvez um pouquinho mais, umas 3 ou 4 vezes, talvez 5 corridas. O Garmin 610 dura no máximo 3 e olha lá!! O uso do GPS consome bastante bateria mesmo, isso é normal. Obrigado pelo seu testemunho. Abraços

      Excluir
  13. Parábens pelo blog amigo, tenho dificuldades em programar um treino intervalado nesse modelo 405, já aqueles treinos que vem gravado na memória pode ser modificado? agradeço a atenção?
    Poderia sugerir gravações de videos para exolicação de utilização . forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Matematicando obrigado por sua participação e sugestões.
      Eu concordo com você. O 405 deve ser programado antes e exige passeio em muitos menus para fazer valer a programação do treino intervalado. Nem pensar fazer na hora, tem que fazer em casa e com o manual do lado, rsrsrsrs. Boa ideia do vídeo! Abs

      Excluir
  14. Caro Flavio ...

    Parabéns pelos artigos. Li todos!
    Sei do esforço de manter um blog e o trabalho que dá escrever artigos como este.
    Portanto não podia deixar de agradecer por compartilhar suas experiências e conhecimentos.

    Keep Running.

    Abraços

    Leandro Godoy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Leandro super obrigado pelas palavras de apoio!! Super legal!!
      Isso mesmo, correndo sempre!! :-)
      Abs

      Excluir
  15. Flávio, preciso de um equipamento que meça a distância percorrida e calcule a área. Para mim é útil para marcação de áreas de pastejo para vacas (piquetes) em meu sítio.
    Obrigado
    Nelson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Nelson sinto muitíssimo pela imensa demora.
      Eu desconheço um equipamento análogo aos relógios testados que façam isso. Um equipamento de agrimensura específico pode fazer, mas não relógios de corrida.
      Sei que o GOOGLE EARTH tem um recurso muito interessante de delimitar um percurso pela visão de satélite e calcula as distâncias. Quem sabe ele não te ajuda com isso?

      Excluir