domingo, 15 de novembro de 2015

Samsung Gear S2 – será que já vale a pena ter um smart watch? Essencial ou baboseira?

Venho acompanhando com atenção este segmento de relógios inteligentes, relógios conectados denominados pela expressão “smart watch”. Eu confesso que desde que Motorola, Apple ou Samsung, entre outros fabricantes (penso que estes são os mais importantes) trouxeram ao mercado seus produtos, meu pensamento era pura e simplesmente “isso é uma baboseira inútil e sem valor real algum para o consumidor”. Jeito estranho este de abrir um texto exatamente sobre um smart watch, mas é a mais pura verdade. Minha opinião estava formada.

Pode ser que esta fosse minha opinião porque de certa forma eu já venho há anos usando relógios inteligentes, mas de outro tipo. Meu esporte do coração é corrida de rua e há muito tempo uso relógio que mede distância, registra o tempo por quilômetro, pulsação a cada segundo, ritmo médio (pace), ritmo instantâneo, etc. No começo usava um relógio que se comunicava com um acelerômetro que ia amarrado no tênis. Depois passei a usar relógios com GPS.

Assim ao ver os primeiros smart watches quando foram lançados, eles me pareciam apenas e tão somente versões glorificadas e transformadas em “fashion” de algo que eu já usava há anos. OK, eu sei que os novos relógios se conectam com o smartphone de forma bidirecional. Recebem informações, acessam Internet, exibem e-mails, SMS, e mensagens de outros tipos. Mas a última coisa que eu quero durante a minha corrida é receber um e-mail ou SMS que me desvie o foco da corrida e do prazer da atividade física.

Depois de observar vários destes relógios fashion, conectados algum coisa mudou a minha forma de ver este tipo de produto. Neste mês de novembro a Samsung lançou no Brasil o Gear  S2 e apesar de eu não ter feito de fato o test-drive com ele (aliás algo que tenho grande interesse), pude interagir bastante com especialistas de produto da empresa e muitas dúvidas e curiosidades foram esclarecidas. Definitivamente mudei de opinião após conhecer o Gear S2. Smart watch não é baboseira.



figura 01 – Gear S2 em exposição


Mas o que me fez mudar de opinião? Inicialmente as funções que se aproximam ou mesmo substituem dos meus relógios especializados em corridas. Desde as primeiras versões vários smart watches já contam passos, estimam gasto de calorias e monitoram frequência cardíaca por meio de um sensor no verso do corpo do relógio. Isso é muito mais prático e confortável do que as cintas peitorais usadas pelos relógios de corrida (já existem relógios de corrida com sensor no pulso). Isso é feito pelo aplicativo nativo chamado S Health.


figura 02 – Gear S2 sensor de batimentos cardíacos na base do relógio

Vivemos em um mundo no qual software é TUDO!! Um conjunto de aplicações realmente úteis e bem concebidas são capazes de agregar muito valor ao dispositivo. O Gear S2 inicia automaticamente o registro de uma atividade física (corrida) ao perceber que isso está acontecendo. Interrompe o registro ao detectar a parada e os dados da atividade física estão disponíveis (todos aqueles que meus relógios de corrida fazem). Este é o aplicativo NATIVO do Gear S2, mas seu usuário pode, por exemplo, usar outros como, por exemplo, o conhecido NIKE PLUS para já alimentar suas estatísticas no completo site de mesmo nome.


figura 03 – Gear S2 – funções do ótimo aplicativo S Health

Apesar de muito inteligente para atividades físicas, isso não é suficiente para substituir meu relógio de corrida pelo Gear S2. Aí começam a aparecer diversas características que são desde inovadoras, inteligentes, práticas e a até mesmo algumas de utilidade duvidável, mas muito bonitas ou apenas interessantes. Por exemplo, o simples movimento de leve rotação do pulso faz o display do Gear S2 ser ligado. Afinal um smart watch também serve para ver as horas, certo? E dessa forma, quando seu proprietário não o tem na linha de visão, ele fica com o visor desligado, assim poupando energia. Aliás, assunto importante este. Segundo o especialista da Samsung o tempo médio de duração de sua bateria é entre 2 e 3 dias, eventualmente um pouco menos se for usado de forma muito intensa ou até um pouco mais em regime de uso moderado. Seu carregamento se dá por meio de uma base que se conecta a um carregador USB, mas o relógio apenas fica sobre a base. Não há encaixes, o carregamento é por indução magnética. Colocou o relógio sobre a base ele já está carregando.


figura 04 – Gear S2 sendo carregado por indução em sua base

Gostei da interface e forma de uso. Poucos botões e um intuitivo aro que se move na circunferência do relógio para avançar e retroceder na escolha de opções, além, é claro, do recurso de toque no visor. Inteligente a escolha deste aro, pois tudo só no toque não teria a mesma produtividade e usabilidade.

Falando em interface, a marca registrada de um smart watch é a sua total e absoluta capacidade de customização de sua aparência. Seu visor pode mostrar desde clássicos ponteiros analógicos, ponteiros modernosos, múltiplos mostradores esportivos, inúmeras variações de temas digitais e mesmo designs que em nada lembram relógios e mesmo assim ainda mostram as horas. Dependendo da ocasião ou do humor ou estado de espírito de seu usuário, o Gear S2 pode assumir a aparência que mais o agrada para cada momento. Há um grande conjunto de temas gratuitos e também muitos temas adicionais que podem ser comprados na loja digital da Samsung.

Aparência não é tudo. Embora Vinícius de Morais em seu poema “Receita de Mulher” dizia “As muito feias que me perdoem, mas beleza é fundamental. Precisa que haja qualquer coisa de flor em tudo isso...”.  Outras características capturaram minha atenção. Aquele recurso de receber notificações no relógio, mensagens, SMS, etc. é ruim para mim na hora da corrida. Mas um lembrete de compromisso da agenda, um SMS, um e-mail importante no contexto profissional e social é uma boa ideia. Ainda mais quando podemos usar os recursos de reconhecimento de voz para responder estas mensagens ditando brevemente a nossa resposta.

Importante destacar que estas funções mais avançadas do Gear S2 exigem que ele esteja pareado, ou seja, conectado a um smartphone que não necessariamente precisa ser Samsung. Qualquer Android acima da versão 4.4 (Kitkat) ou mais novo. Ele foi concebido para ser usado de forma autônoma para várias funções, mas quando ele estabelece comunicação via Bluetooth com o smartphone que todo o potencial do Gear S2 pode ser realizado. É muito rico o software de gerenciamento e configuração que é executado no smartphone.

Mais informações podem ser obtidas no site da Samsung, em página bastante com muitos detalhes e bem ilustrada por meio deste link.


figura 05 – Gear S2 – visão geral dos menus


Especificações

O sistema operacional do Gear S2 não é Android e sim o Tizen que é mais compacto e adequado a este tipo de dispositivo, inclusive mais econômico em termos de uso de energia. Sua conexão com smartphones é Bluetooth além de WiFi 802.11n . A tela é de 1.2” (30.2 mm – medida na diagonal), 360x 360 pixels, tecnologia AMOLED (ótimo brilho e contraste) construída em Gorila Glass 3.0 (maior resistência). Importante destacar que é a prova de água padrão IP68, ou seja, resiste até 30 minutos em profundidade de até 1.5 metros. Isso significa que tomar banho, água de chuva na atividade física ou um breve mergulho na piscina não vai prejudicar o relógio.

Tem 512 MB de memória RAM, 4 GB de espaço para armazenamento de dados e programas. Ainda conta com um grande número de sensores como acelerômetro, pedômetro, giroscópio, sensor de batimentos cardíacos, barômetro e intensidade de luz ambiente. Sua bateria tem capacidade de 250 mAh (parece pouco comparado com smartphone, mas o consumo é muito menor). Veja abaixo um resumo das características.


figura 06 – especificações do Gear S2


Modelos
     

O Gear S2 foi lançado no Brasil em dois diferentes modelos denominados Gear S2 Sport e Gear S2 Classic. São essencialmente iguais em termos de “mecanismo”, ou seja, eletrônica. Mas apresentam leve diferença no tamanho e peso.

Gear S2 Sport   42.3 x 49.8 x  11.4 mm, peso 47 gramas
Gear S2 Classic 39.9 x 43.6 x 11.4  mm, peso 42 gramas


Portanto a diferença evidente é visual. O Classic como o próprio nome sugere é mais “estiloso”, acabamento sofisticado, tem formato de uma engrenagem estilizada metalizada, pulseira de couro, ligeiramente menor e um pouquinho mais leve. O modelo Sport é menos sofisticado, acabamento em plástico e formato arredondado. Os preços de lançamento de cada modelo são R$ 1.899 para o Sport e R$ 2.099 para o Classic. Ambos podem ser pagos em 12 vezes na loja da Samsung.

Estou terminando este texto no domingo de manhã, dia 15/11 e na loja online da Samsung o modelo Classic já está esgotado! Incrível! Vejam as fotos dos modelos abaixo. Relembro que o visual do mostrador dos relógios é selecionável pelo usuário. Nada impede que o dono de uma versão Sport use o mesmo tema sugerido para o Classic ou vice-versa dentre dezenas de outros temas.



figura 07 – Gear S2 modelos Sport e Classic


figura 08 – Gear S2 modelos Sport e Classic

Conclusão

Este texto acabou ficando, para uma visão preliminar do produto, muito maior do que eu previra. Isso aconteceu por dois motivos. O profissional especialista no produto com quem conversei foi muito capaz em apresentar as características do Gear S2 e eu pude ter uma longa conversa com ele. Além disso o Gear S2 me pegou de surpresa. Ele é mais do que eu esperava. Não pela beleza, não pelas especificações, mas sim pela aparente ótima usabilidade e utilidade.

Como disse, minha opinião sobre smart watches era que seriam dispositivos supérfluos e sem sentido, praticamente uma baboseira! Mas meu contato preliminar com o Gear S2 retirou de minha cabeça a ideia de que estes relógios seriam ótimas soluções esperando um bom problema. Usabilidade, aplicações, software são essenciais e parece que a Samsung conseguiu. Não que os modelos anteriores fossem ruins. Nem posso dizer isso, pois nem dei para eles oportunidade e uma grande chance de minha análise ou crítica.

Mas esta é uma visão preliminar, pois ainda não pude fazer um test-drive real com o Gear S2. Assim que puder ter meus vários dias de uso com ele conseguirei aprimorar minha opinião, ratificando ou não minhas palavras. Mas acredito que posso afastar definitivamente o termo “baboseira” como qualificador deste smart watch. Apenas não estou certo se o nível de preço é correto. Parece-me exacerbado um dispositivo desses custar perto de R$ 2.000 (R$ 100 a menos o Sport e R$ 100 a mais o Classic). Mas o mercado é soberano e vai ensinar aos fabricantes essa lição. Convém lembrar que o Classic hoje está esgotado no site da Samsung!!!


figura 09 – Gear S2 sincronizado com o ótimo S6 Edge Plus


2 comentários:

  1. Já tive os 3. O gear s2 eh mais belo a Apple watch e lg urbane. Perde por Nao parelhar com iOS (ainda). Bateria boa. Sistema bom. Preco caro! Prata eh lindo!

    ResponderExcluir
  2. Já tive os 3. O gear s2 eh mais belo a Apple watch e lg urbane. Perde por Nao parelhar com iOS (ainda). Bateria boa. Sistema bom. Preco caro! Prata eh lindo!

    ResponderExcluir