quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Nutanix, um novo paradigma para virtualização?

O mercado de soluções para virtualização já está bastante maduro e consolidado e já faz um tempo que empresas de diferentes tamanhos já incorporaram esta tecnologia como estratégica para gerenciar recursos de TI. Seja virtualização de servidores, implantação de nuvem privada, virtualização de desktops, etc.

Hoje em dia uma solução bem desenhada e que entrega bom desempenho e confiabilidade consiste de um conjunto bem definido de recursos.
  • Servidores propriamente ditos, poderosos, com muita memória e alta capacidade de processamento.
  •  Redes de alto desempenho (1 Gbps, 10 Gbps ou ainda mais rápidas)
  • Unidades de armazenamento (storages) conectados aos servidores via rede própria (fibre channel) ou iSCSI (ethernet)


Os gerenciadores de virtualização como VMware, e outros usam todos estes recursos e visam máximo desempenho e disponibilidade. É uma solução competente para a missão que se destina a despeito de exigir certa complexidade para a orquestração de todos estes recursos de melhor forma possível.

Mas ainda bem que de vez em quando surgem algumas empresas com novas ideias e que por vezes trazem colaboração além do esperado e ainda mais raramente transformam o mercado. Podemos estar vendo parte da história de como se faz virtualização ser reescrita pela empresa Nutanix.

A Nutanix é uma empresa nova (fundada em 2009) e já foi avaliada em US$ 1 bilhão por conta de suas soluções inovadoras bem como tem recebido novos aportes de investimentos. Neste mês de janeiro de 2014 a empresa abre suas operações no Brasil e de uma forma ousada uma vez que já contará com fabricação local de seus produtos.

Pioneira no conceito de hiperconvergência, a Nutanix tem sua plataforma baseada em appliances de armazenamento e computação virtual, permitindo a substituição de storage legado (SAN, NAS, etc.) por um data center modular que pode ser implantado em menos de 30 minutos (dependendo da configuração).


figura 01 – sistema Nutanix – escalabilidade no processamento e armazenamento


Diferencial

O tipo de dispositivo criado pela Nutanix pode ser entendido como um servidor com storage embutido, ou seja, tem poder de processamento e engloba vários discos rígidos (e também SSDs) em seu interior. Ouvindo falar dessa forma parece a descrição de um simples servidor, não é? Mas o grande diferencial é que a solução é modular de tal forma que na medida em que novos dispositivos são agregados o poder de processamento para gerenciar máquinas virtuais (VMs) ou desktops virtuais (VDIs) é acrescido bem como o montante de armazenamento que aumenta um “pool” único de recursos.

O equipamento da Nutanix incorpora o mesmo o software de arquitetura distribuída que alimenta os principais provedores de nuvem pública, tais como Google, Facebook e Amazon, mas é adaptado para empresas e agências de governo.

Este software de arquitetura distribuída permite que a área de armazenamento de dados e VMs seja continuamente ampliada pela simples adição de mais unidades de processamento/armazenamento sendo assim incrivelmente versátil. Precisa de mais espaço? Adicione mais uma “caixa” que mais espaço é agregado ao “pool” compartilhado por todas as “caixas”, que por sua vez processam as VMs existentes ou novas VMs.

Cada dispositivo agregado faz crescer o montante de espaço de armazenamento que é compartilhado com todas as unidade. Isso permite que o processamento de VMs e VDIs seja ampliado (escalado) de forma constante e linear.

O tal “pool” de recursos resultante tem a inteligência para mover para os discos (e/ou SSDs) as VMs que são processadas naquela unidade e manter réplicas para efeito de backup e contingência em outros locais do “pool”. Dessa forma o desempenho das VMs e VDIs é maximizado uma vez que os arquivos físicos que contém estas VMs estarão no próprio local em que são processadas e não em dispositivos de armazenamento (storages) que por mais rápidos que sejam nunca serão tão rápidos como os discos/SSDs presentes na própria máquina.


figura 02 – sistema Nutanix – processamento local das VMs

Também como inteligentes dispositivos de armazenamento já fazem hoje em dia as informações mais usadas são migradas (dentro da unidade que as processa) para discos mais rápidos (SSDs) ou para discos mais lentos no caso de baixo uso, ou mesmo para outra unidade da “rede” de dispositivos Nutanix.

A empresa chama seu produto de “Virtual Computing Platform” e pode ser entendido como a fusão de storages com servidores procurando trazer o melhor de cada um destes mundos para o crítico ambiente de virtualização. Não enxergo a plataforma da Nutanix como concorrente de sistemas de armazenamento de altíssimo volume, embora tenha potencial de crescer nesta direção. Penso ser uma plataforma bastante inovadora para implementação de soluções de alto desempenho e alta disponibilidade para virtualização e também com uma solução escalável de sistemas de armazenamento.

Ambientes como VMware, Citrix, etc. já podem vir instalados nos dispositivos para acelerar ainda mais a implantação do ambiente usado na empresa. A licença de uso destes ambientes não está contida no preço dos mesmos e deve ser adquirida junto ao fornecedor. Mas a empresa tem cerca de 60 para adquirir as licenças e neste meio tempo já implantar a solução.

Todas estas informações foram compartilhadas pela empresa por meio de seus executivos Andres Hurtado (vice presidente da América Latina) e Leonel Oliveira (gerente geral do Brasil). Achei extremamente ousada e inovadora a proposta da empresa. Este tipo de recurso oferecido ao mercado tem potencial para mudar a forma como sistemas virtualizados são implementados, mantidos e otimizados em relação a desempenho e escalabilidade. Tenho forte interesse em me aprofundar neste tipo de solução para trazer informações mais concretas sobre o modelo de uso desta solução bem como se possível acompanhar casos de sucesso de implantação. Deverá ser tema de texto em futuro próximo.




figura 03 – sistema Nutanix

Um comentário:

  1. Olá Xandó! Ótimo artigo!

    Deixa ver se entendi bem, essa plataforma e dividida em duas (ou três partes)? Um tipo de "caixinha" para o storage propriamente dito e outro tipo de "caixinha" para o(s) CPU(s)? Isso tudo integrado em um único sistema? Ou então seria uma espécie de módulo que é possível dispor internamente de CPU, armazenamento ou os dois como seria num gabinete mini-ITX? E como são interligados esses módulos (ou "caixinhas")? Há um bus proprietário algo que existe comercialmente?

    Desculpe as perguntas (talvez de respostas óbvias), estou interessado nessa área de redes, virtualização e gateway, mas, ainda estou engatinhando nesses plagas (como diria o grande Piropo)!

    Abraços.

    Carvalho.

    ResponderExcluir